Acessar o conteúdo principal
Cinema

Festival de Cannes mantém suspense sobre participação de Netflix na 72ª edição

Em duas décadas Netflix se impôs com um dos principais nomes da indústria cinematográfica.
Em duas décadas Netflix se impôs com um dos principais nomes da indústria cinematográfica. REUTERS/Mike Blake
Texto por: RFI
3 min

A duas semanas da divulgação da seleção dos participantes desse ano no Festival de Cinema de Cannes, aumentam os rumores sobre a lista de filmes escolhidos. Os organizadores mantêm o suspense sobre a presença de Netflix no evento. A plataforma de streaming, que se tornou o novo gigante da 7ª arte, foi excluída da edição passada.

Publicidade

O 72° Festival de Cannes acontece entre 14 e 25 de maio e a lista dos filmes selecionados deve ser revelada no dia 18 de abril. Como sempre nessa época do ano, borbulham as especulações sobre os possíveis escolhidos evento, que esse ano terá o diretor mexicano Alejandro Gonzalez Iñarritu na presidência do júri.

"Once Upon A Time In Hollywood", o novo projeto de Quentin Tarantino, é um dos nomes mais cotados pelos críticos. Há quem aposte até na data de projeção: 21 de maio, dia do 25° aniversário da apresentação na Croisette de seu filme “Pulp Fiction”, que levou a Palma de Ouro em 1994.

Também se fala muito de uma volta das produções norte-americanas a Cannes, após uma edição 2018 com apenas dos filmes Made in USA na competição. Além de Tarantino, já se aposta nos americanos James Gray, com "Ad Astra", Jim Jarmusch, com "The Dead Don't Die", Ira Sachs, com "Frankie", ou ainda ou Terrence Malick, com "Radegund".

Mas o nome americano que representa o maior mistério de Cannes ainda é Netflix. A plataforma de streaming ficou fora da edição passada, já que os organizadores do festival francês exigiam que apenas produções que estreiam em cinemas pudessem fazer parte da seleção. Netflix, que reivindica um novo modo de consumo de filmes, dando prioridade aos assinantes sem passar pelas telonas, não se dobrou diante da regra imposta pelos franceses e ficou fora da festa.

Mas a questão é delicada, pois a plataforma de streaming produz cada vez mais obras que participam com sucesso de outros grandes festivais. Exemplo com “Roma”, de Alfonso Cuaron, que venceu a Mostra de Veneza em setembro passado. Mas vale lembrar que como o filme tinha grandes chances no Oscar, Netflix abriu uma exceção e a produção pode ser vista nas telonas antes de ser disponibilizada para os assinantes.

As discussões entre o Festival de Cannes e a plataforma de streaming continuam. Mas segundo o jornal americano especializado em cinema Variety, que conhece como poucos os bastidores da 7ª Arte, Netflix deve ficar mais uma vez fora do tapete vermelho da Riviera Francesa. Resposta no dia 18 de abril.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.