Acessar o conteúdo principal

Manuscrito de "Hey Jude", pele de bateria e cinzeiro dos Beatles batem recorde de vendas em leilão

The Beatles, em 1° de janeiro de 1968, em Nova York. Da esquerda para a direita, Paul McCartney, John Lennon, Ringo Starr e George Harrisson.
The Beatles, em 1° de janeiro de 1968, em Nova York. Da esquerda para a direita, Paul McCartney, John Lennon, Ringo Starr e George Harrisson. UPI/AFP/Archivos
Texto por: RFI
2 min

O manuscrito do clássico dos Beatles "Hey Jude", uma composição de Paul McCartney de 1968, foi vendido por US$ 910.000 durante um leilão on-line na sexta-feira (10). A venda foi organizada para recordar o 50º aniversário da separação da lendária banda britânica. 

Publicidade

A folha com a canção rabiscada à mão por McCartney, usada durante a gravação nos estúdios Trident de Londres, alcançou uma quantia cinco vezes maior que a estimada pela empresa de leilões californiana Julien's Auctions, sediada em Los Angeles.

O leilão reuniu cerca de 250 objetos dos Beatles e teve de ser realizado pela internet devido à pandemia do coronavírus. Fãs de todo o mundo fizeram lances na expectativa de arrematar guitarras, vinis e itens autografados pelos Beatles.

A entrevista em que McCartney anunciou o fim do grupo, considerado uma dos mais influentes da história da música, completou meio século na sexta-feira. Em 1968, ele  escreveu a letra de "Hey Jude" para consolar o filho de Jonh Lennon, Julian, que atravessava um momento doloroso com o divórcio dos pais, provocado pela relação que Lennon tinha iniciado com a artista japonesa Yoko Ono. O casamento de Lennon com sua primeira mulher, Cynthia, não resistiu à paixão de Lennon por Yoko. Inicialmente, McCartney pensou em chamar a canção de "Hey Jules". O manuscrito vendido contém uma letra parcial juntamente com anotações que incluem a palavra "break" ("pausa", em inglês), usada para ajudar na gravação da música.

Outros itens arrematados no leilão foram a pele de uma caixa de bateria com o logotipo dos Beatles, usada na primeira turnê  internacional da banda, nos Estados Unidos, em 1964. O objeto foi vendido por US$ 200.000.

Uma página manuscrita do roteiro do clipe da canção "Hello, Goodbye", de 1967, foi leiloada por US$ 83.200 e um cinzeiro utilizado pelo baterista Ringo Starr nos studios Abbey Road, nos anos 1960, foi comprado por  US$ 32.500.   

Com informações da AFP

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.