Acessar o conteúdo principal

Festival de Cinema de Cannes 2020 pode acontecer de maneira digital

Os organizadores do Festival de Cinema de Cannes resistem em cancelar a edição 2020 e anunciam novo adiamento, sem data marcada, do evento.
Os organizadores do Festival de Cinema de Cannes resistem em cancelar a edição 2020 e anunciam novo adiamento, sem data marcada, do evento. AFP/File
Texto por: RFI
3 min

Com a prorrogação do confinamento na França até 11 de maio e a decisão do presidente Emmanuel Macron de manter fechados por tempo indeterminado teatros, cinemas, salas de concertos e arenas, eventos culturais e esportivos importantes do país são cancelados. Mas os organizadores do famoso Festival de Cinema de Cannes decidiram manter o evento, que acontecerá em um outro formato. Por enquanto, o festival foi adiado e a nova data ainda não foi anunciada.

Publicidade

Desde o pronunciamento do presidente francês à nação na segunda-feira (13) prolongando a quarentena, a lista de eventos culturais cancelados não para de aumentar. A epidemia de coronavírus acabou com as edições 2020 do Festival de Teatro de Avignon, que acontece tradicionalmente em julho, ou dos festivais de música Eurockéennes de Belfort e Francofolies de La Rochelle, para citar só os maiores.

Mas os organizadores do Festival de Cinema de Cannes, um dos mais importantes do mundo, resistem. Em comunicado oficial divulgado na noite desta terça-feira (14), eles afirmam que “ficou difícil imaginar que o evento possa ser organizado este ano em seu formato tradicional”, isto é, com a presença de badalados diretores, atores e produtores de todo o mundo em Cannes. Eles informam que já começaram a consultar os profissionais franceses e internacionais. “Todo mundo concorda que Cannes, um instrumento essencial de apoio à indústria cinematográfica, tem que continuar e dar visibilidade aos filmes do ano de uma maneira ou de outra”, diz o texto.

Nada foi ainda decidido e os organizadores esperam poder comunicar em breve o formato que terá a edição 2020. Vários especialistas apostam em um festival digital. Na semana passada, o diretor-geral de Cannes, Thierry Frémaux, descartou em uma entrevista à revista americana Variety essa opção, julgando impensável que filmes de Wes Anderson ou Paul Verhoeven, por exemplo, possam ser vistos em um computador e não na telona do cinema. Mas a declaração de Frémaux foi feita antes de Macron ter decidido cancelar todos os festivais do país pelo menos até meados de julho. Na época, ele pensava ainda ser possível realizar o festival no final de junho ou início de julho, como anunciado no início da quarentena na França.

Pilar da indústria cinematográfica

Cannes é um pilar da indústria cinematográfica mundial. Realizado anualmente em maio, o evento atrai 40 mil profissionais e cerca de 200 mil espectadores. A 73ª edição seria inicialmente realizada entre 12 e 23 de maio. Os organizadores ainda não tinham anunciado os filmes selecionados e em competição pela Palma de Ouro, mas o diretor americano Spike Lee já havia sido designado o presidente do júri este ano.

Um adiamento para além do mês de julho parece inviável. A partir de agosto acontecem festivais importantes de cinema, como o de Locarno, na Suíça, o de Toronto, no Canadá, ou o de Veneza, na Itália, e a realização concomitante de Cannes poderia provocar uma concorrência desnecessária, principalmente nessa época em que a crise do coronavírus atinge em cheio a indústria cinematográfica. Mais um indicador da provável realização excepcional da edição 2020 de maneira digital.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.