Acessar o conteúdo principal

Zizi Jeanmaire: morre aos 96 anos a mais versátil das grandes bailarinas francesas

Muitos papéis de Zizi Jeanmaire foram criados por seu marido, o coreógrafo Roland Petit.
Muitos papéis de Zizi Jeanmaire foram criados por seu marido, o coreógrafo Roland Petit. AFP/File
Texto por: RFI
2 min

A dançarina e cantora francesa Zizi Jeanmarie, que ficou conhecida pela canção “Truc em plumes” (coisa de plumas, em tradução livre), morreu nesta sexta-feira (17), anunciou sua família. A carreira da artista foi também marcada pela colaboração estreita com o coreógrafo Roland Petit.

Publicidade

“Mamãe descansou em paz esta noite na sua casa de Tolochenaz, no cantão de Vaud”, na Suíça, anunciou sua filha Valentine Petit. Uma cerimônia pública será realizada em homenagem à artista, acrescentou.

Profissional formada pela escola de dança da Ópera de Paris, Zizi Jeanmarie ousou misturar a dança clássica e musicais ao longo de uma longa e marcante carreira.

O anúncio de sua morte provocou reações emocionadas no mundo da dança. “Uma mulher e uma artista excepcional que nos deixa. Zizi Jeanmaire vai ficar para sempre em nossas memorias, única e inimitável. Zizi, nós te amamos”, escreveu no Instagram Manuel Legris, que já foi um dos principais bailarinos da Ópera de Paris.

“Nunca esqueceremos você, querida Zizi”, comentou a ex-bailarina francesa Marie-Agès Gillot.

Nascida Renée Jeanmarie em 29 de abril de 1924, foi na escola de dança da Ópera de Paris que ela conheceu o futuro coreógrafo e marido Roland Petit, em 1933. Ambos tinham apenas 9 anos. Petit morreu em 2011.  

Sete anos depois, 1940, Zizi integrou o corpo de baile do renomado balé, do qual se retirou no final da Segunda Guerra Mundial. “Roland queria criar sua própria companhia”, contou a artista em uma entrevista, em 2008. Petit formou os Ballets des Champs-Elysées e, depois, os Balés de Paris.

Carmen de cabelos curtos

A companhia fez grande sucesso com “Carmen”, quando Zizi adota o corte curto de cabelo que virou sua marca registrada. Ela também participou de filmes em Hollywood e em musicais da Broadway.

“Mon truc em plumes”, criado em Paris em 1961, mostra Jeanmarie na pele de uma personagem chique e ousada ao mesmo tempo. Sua intepretação em “O Jovem e a Morte”, ao lado de Rudolf Nureyev, para uma versão filmada, recebeu excelentes críticas.

Em 1970, o casal passa a dirigir o mítico Casino de Paris. Roland Petit cria em seguida a companhia dos Balés de Marselha.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.