Acessar o conteúdo principal

Concerto na França homenageia Amazônia misturando obras de Villa-Lobos e Sebastião Salgado

Ópera de Rouen homenageia a Floresta Amazônica apresentando obras de Villa-Lobos
Ópera de Rouen homenageia a Floresta Amazônica apresentando obras de Villa-Lobos © Reprodução
Texto por: RFI
3 min

A Orquestra da Ópera de Rouen apresenta neste sábado (17) um concentrado de Brasil. O público vai poder apreciar “A Floresta do Amazonas”, de Heitor Villa-Lobos, regida pela maestra Simone Menezes e interpretada pela soprano Camila Titinger, ambas brasileiras e radicadas na França. O concerto será acompanhado das imagens feitas na região amazônica pelo fotógrafo Sebastião Salgado.

Publicidade

Com informações de Carmen Lunsmann

O concerto faz parte do programa “Música e Imagens” da Ópera de Rouen, na região francesa da Normandia (oeste) e é apresentado como uma espécie de alerta sobre a situação atual da Amazônia. “Não diria que sou ecologista, mas faz sentido buscar projetos que vão além da música. E a Amazônia é um tesouro da humanidade que pertence a todos”, explicou Simone Menezes, em entrevista à RFI.

Por essa razão ela escolheu prelúdio das “Bachianas Brasileiras n°4” e “A Floresta do Amazonas”, de Villa-Lobos, além de “Metamorphosis”, trecho de “Águas da Amazônia”, de Philip Glass. A soprano Camila Titinger empresta sua voz ao projeto.

“Na música de Villa-Lobos um dos pontos fortes é ‘A Floresta do Amazonas’. É uma música épica, primitivista, quase uma ‘Carmina Burana’, na qual ele explora todos os sons da natureza, os passos tribais dos índios, os cantos de guerra”, descreve a maestra. “É realmente uma música espetacular, com uma orquestração enorme. E a partir dessa música, temos uma base magnífica para falar da floresta amazônica”.

A pureza e o poder da Amazônia

O concerto será acompanhado pela projeção de imagens de Sebastião Salgado. “A minha grande esperança é que as pessoas que verão essas imagens sintam a pureza e o poder da Amazônia, mas também a necessidade de termos essa Amazônia”, comenta o fotógrafo no vídeo de divulgação do evento. Salgado, que imortalizou a dimensão monumental, mas também humana da floresta brasileira, com imagens da vegetação e das populações locais, convida o público a “trabalhar, militar e fazer tudo para proteger esse ecossistema e essas tribos, pois esses índios são os verdadeiros guardiões dessa floresta”.

As fotos também serão apresentadas em maio de 2021, durante a exposição Salgado Amazônia, na Philharmonie de Paris.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.