Davos/economia

Líderes discutem estabilização da economia mundial em Davos

Fórum Econômico Mundial começa nesta quarta-feira em Davos
Fórum Econômico Mundial começa nesta quarta-feira em Davos Reuters

Começa nesta quarta-feira em Davos, na Suíça, a quadragésima edição do Fórum Econômico Mundial, que reúne a nata da economia global. Neste ano, cerca de 35 chefes de governo e de estado, além de 2.500 pessoas, entre elas representantes políticos, empresários e membros de organizações internacionais, vão participar do evento.

Publicidade

Deborah Berlinck, em participação especial para a RFI

Na agenda das discussões, a estabilização da economia mundial após a crise financeira, a instabilidade da zona euro, a reforma do sistema monetário internacional e a guerra cambial que opõe, principalmente, China e Estados Unidos. Personalidades como a chanceler alemã Angela Merkel, o primeiro-ministro britânico, David Cameron, e os presidentes da França, México e da Colômbia confirmaram presença. A presidente Dilma Rousseff não está participando do evento. O Brasil é representado pelo novo ministro das Relações Exteriores, Antônio Patriota.

O mundo superou o pior da crise, sim. Mas a atmosfera em Davos é de uma crise mal curada e o medo de recaídas pela frente. A guerra das moedas, a Europa endividada, o preço elevado das commodities e o risco de nova crise dos alimentos são alguns dos temas mais preocupantes. O atentado de Moscou, com dezenas de mortos, vai pesar na cerimônia de abertura oficial do encontro desta quarta-feira, que tem como convidado especial o presidente russo Dimitri Medvedev. Até terça-feira à noite, sua presença estava confirmada.

A presidente Dilma Roussef foi convidada mas decidiu não vir. Sua ausência, entretanto, inaugura um novo estilo. Ela enviou uma delegação tecnocrática e muito discreta. Já confirmaram presença o ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, o presidente do Banco Central, AlexandreTombini, o presidente do BancoNacional de Desenvolvimento Econômico e Social, Luciano Countinho, e o presidente da Petrobrás, José Sergio Gabrielli.

Davos, neste ano, acordou para a importância do G-20, o grupo que reúne as principais economias do Planeta, incluindo países emergentes como China, Índia e Brasil. Klaus Schwab, o presidente do Fórum, reivindica que empresários sejam mais integrados no processo de decisão do grupo e vai lançar durante o encontro uma ‘rede’ que reúne, segundo ele, as melhores cabeças para pensar em soluções.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.