Economia

Emergentes não têm candidato forte para o FMI, diz cientista político

Áudio 04:09
A ministra francesa da Economia, Christine Lagarde, ao anunciar sua candidatura ao FMI em Paris, no dia 25 de maio.
A ministra francesa da Economia, Christine Lagarde, ao anunciar sua candidatura ao FMI em Paris, no dia 25 de maio. REUTERS/Jacky Naegelen
Por: Ana Carolina Dani
6 min

A ministra francesa da Economia, Cristhine Lagarde, esteve nesta segunda-feira no Brasil. A visita faz parte dos esforços da ministra para tentar convencer os países emergentes a apoiar sua candidatura à direção do Fundo Monetário Internacional (FMI). O Brasil e os outros países dos BRICS, ou seja, China, Índia, Rússia e África do Sul, defendem o fim do acordo selado com os Estados Unidos que garante que a direção do FMI deve ser sempre ocupada por um europeu, enquanto a direção do Banco Mundial deve ser reservada a um norte-americano. Para Riordan Roett, diretor do programa de estudos de América Latina da Universidade Johns Hopkins, esse acordo é "um absurdo", mas os países emergentes não conseguem reverter essa situação, pois não têm um candidato forte.