Economia/Brasil

Moody’s aumenta a nota do Brasil

Moody's considera que os recentes ajustes na política econômica brasileira devem resultar em um cenário macroeconômico sustentável
Moody's considera que os recentes ajustes na política econômica brasileira devem resultar em um cenário macroeconômico sustentável Reuters

O Brasil foi saudado pela agência de classificação de risco, Moody’s, por sua política econômica. A classificação anterior “Baa3”, feita em setembro de 2009, a menor da categoria investimento, foi elevada para “Baa2”. A flexibilidade e a credibilidade na luta contra o endividamento foram os pontos positivos ressaltados pelo comunicado feito nesta segunda-feira.

Publicidade

A perspectiva é positiva e a nota brasileira poderá sofrer um novo aumento a médio prazo, dentro de um ano ou um ano e meio.

De acordo com a agência, as autoridades brasileiras vem tentando desacelerar o aquecimento econômico, através de medidas orçamentárias e monetárias.

A classificação ajuda a alertar investidores sobre os riscos potenciais do mercado em cada país, como, por exemplo, a garantia de receber de volta os valores investidos. Melhorando a nota e ganhando estabilidade e credibilidade internacional o país passa a atrair mais investidores.

A dívida do país deve se inscrever numa tendência de queda. Segundo a Moody’s, mesmo se é ainda cedo para avaliar se as ações recentes serão suficientes, as autoridades brasileiras se mostram determinadas a conter o aquecimento da economia comedidas suplementares caso necessário.

O país deve ainda cumprir as metas orçamentárias a curto prazo, moderar o crescimento econômico e manter as taxas em baixa.

Outra agência, a Fitch, já havia elevado em abril desse ano a nota brasileira para investimentos.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.