G20 Agricultura/Paris

Brasil vai apoiar principais propostas do G20 Agricultura

O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Wagner Rossi.
O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Wagner Rossi. Marcello Casal Jr./ABr

O Brasil chega a Paris para participar da reunião do G20 Agricultura sem se opor às principais propostas que estão sobre a mesa de negociações. Em entrevista coletiva na manhã desta quarta-feira, o ministro brasileiro da Agricultura, Wagner Rossi, disse que concorda com as propostas que estão sendo discutidas em Paris, entre elas a regulação das transações financeiras no mercado de commodities para limitar a especulação.

Publicidade

O ministro ponderou, entretanto, as ambições francesas e afirmou que medidas regulatórias específicas nesse sentido não deverão ser definidas durante a reunião ministerial do G20 em Paris. Segundo ele, o Brasil concorda com o princípio da regulação, mas quer “aprofundar as discussões sobre o assunto”. Rossi considera que o melhor mecanismo para lutar contra a volatilidade dos preços dos alimentos não é regular as transações financeiras, mas sim aumentar a produção.

Wagner Rossi

O ministro também disse ser «totalmente» a favor de dar maior transparência a dados sobre estoques e produção agrícola. Segundo ele, o Brasil já tem um sistema transparente de informações, tanto do setor público, quanto do privado. Em Paris, o G20 deve propor a criação de um banco de dados com informações globais sobre estoques e produção, que será batizado Sistema de Informação dos Mercados Agrícolas.

 

Transparência Estoques

Também têm apoio do Brasil, a proposta de criação de um sistema de alerta para situações emergenciais nos países mais pobres, assim como o geomonitoramento, feito por satélite, que vai permitir a integração de sistemas de informação nacionais e regionais para compartilhar dados como previsão de safras e controle do meio ambiente.

O ministro Wagner Rossi insistiu bastante durante a coletiva, em Paris, sobre a oposição do Brasil com respeito à proposta de controle de preços dos alimentos. A ideia havia sido lançada pelo presidente francês, Nicolas Sarkozy, há alguns meses, mas a França voltou atrás e disse que não pretende mais controlar preços, mas sim regular as transações financeiras no mercado de commodities.

O Brasil chega ao G20 Agricultura com o papel de protagonista no mundo agrícola. Na véspera da abertura da reunião ministerial, o jornal francês Le Monde divulgou matéria exaltando a "incrível" performance do setor agrícola brasileiro. "Chegamos como aquele país que, hoje, é capaz de ter o maior crescimento proporcional agrícola no mundo, com o maior ganho de produtividade agrícola no mundo", disse Rossi.

Os ministros da Agricultura das 20 maiores potências mundiais se reúnem a partir desta quarta-feira, em Paris, para tentar chegar a um acordo para reduzir a volatilidade dos preços dos alimentos e melhorar a segurança alimentar no mundo. O encontro será inaugurado hoje, no final da tarde, pelo presidente francês, Nicolas Sarkozy, e a reunião ministerial do G20 será realizada nesta quinta-feira.

A França propõe um plano de ação com base em cinco pontos principais : aumentar a produção mundial, melhorar a transparência dos mercados, afinar a coordenação internacional para prevenir crises e regular os mercados de futuros das commodities.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.