Protesto

França protesta contra corte de fundos para programa alimentar

O presidente francês, Nicolas Sarkozy, diz ter ficado "chocado" com o corte no programa  europeu de ajuda  alimentar.
O presidente francês, Nicolas Sarkozy, diz ter ficado "chocado" com o corte no programa europeu de ajuda alimentar. Reuters

O governo francês protestou, nesta sexta-feira, contra decisão de Bruxelas de cortar fundos destinados a um programa europeu de ajuda alimentar para a população carente. O presidente Nicolas Sarkozy disse ter ficado "chocado" com a decisão, e afirmou que o programa é muito importante para associações caritativas e ONGs. Segundo Sarkozy, o programa europeu de ajuda alimentar garante a segurança alimentar de 13 milhões de pessoas na Europa.

Publicidade

A Comissão Europeia anunciou um corte drástico do montante destinado à população carente, passando de um orçamento de 500 milhões para 113 milhões de euros por ano. Associações caritativas afirmam que a medida pode privar até 2 milhões de europeus da ajuda alimentar.

A distribuição gratuita de alimentos na Europa foi lançada pela primeira vez em 1986, como medida excepcional e de urgência para suprir ajudar a população desfavorecida durante um inverno particularmente rigoroso. Os alimentos eram doados a associações humanitárias que faziam a distribuição à população. Mas em 1990, a reforma da Política Agrícola Comum (PAC) suprimiu as doações e substituiu o programa por um fundo equivalente a 1% do orçamento total da PAC. O montante é distribuído aos países do bloco que repassam os recursos às associações caritativas.

Recentemente, a Alemanha apresentou queixa junto à Corte Europeia de Justiça afirmando que a ajuda não tinha mais nenhuma ligação com a PAC, pois se tratava de um auxílio meramente social. Em abril deste ano, a Corte de Justiça deu razão aos argumentos alemães e a Comissão Europeia não recorreu da decisão.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.