OCDE

Economia mundial terá choques mais frequentes e mais graves

Economia mundial terá choques mais frequentes, diz OCDE
Economia mundial terá choques mais frequentes, diz OCDE

A economia mundial vai registrar choques mais frequentes e com consequências mais graves, segundo um relatório publicado nesta segunda-feira pela OCDE, a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico.

Publicidade

Os analistas da OCDE analisaram cinco riscos potenciais para o mundo nos próximos anos. Além de uma nova crise financeira, o documento, intitulado "Os futuros choques mundiais", cita os riscos de uma pandemia global, de um ciber ataque contra um infraestrutura estratégica, de um conflito socioeconômico e de uma tempestade geomagnética.

Segundo o documento, os riscos não são hoje somente maiores, mas também estariam interligados, devido à "crescente interdependência da economia mundial".

No caso de um surto epidêmico, o risco é maior devido ao tamanho e à configuração de megalópoles como Nova Déli, Xangai ou outras cidades asiáticas que se tornaram pontos turísticos e de negócios.

Para prevenir e amenizar os efeitos dos choques globais, os países deverão melhorar a cooperação e coordenação internacional.

Os analistas da OCDE citam, por exemplo, a decisão da Rússia, no ano passado, de suspender as exportações de trigo, depois de um forte período de seca. De acordo com a organização, a decisão provocou a alta dos preços no mercado internacional, levando, finalmente, a conflitos no Oriente Médio.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.