Acessar o conteúdo principal
Olimpíadas/Londres

Olimpíadas de Londres não trarão 'medalha de ouro', diz Moody’s

Painel mostra anéis olímpicos em Londres.
Painel mostra anéis olímpicos em Londres. REUTERS/Kevin Coombs
Texto por: Cíntia Cardoso
3 min

Diferentemente das expectativas do governo britânico, os Jogos Olímpicos em Londres não devem dar um grande impulso definitivo à economia britânica e ajudá-la a sair da recessão. Segundo analistas da agência Moody’s, os benefícios serão apenas de curto prazo.

Publicidade

Os números impressionam. Ao sediar as Olimpíadas neste ano, Londres deve receber mais de 2 milhões de turistas no mês de agosto, o que representa uma alta de quase um milhão de pessoas em relação ao período normal de férias do verão europeu. Esse contingente de fãs de esporte vai esquentar a economia nos hotéis, restaurantes e em todo o segmento turístico da cidade. Todo esse movimento, porém, não deve dar uma “medalha de ouro” para a economia britânica.

Relatório produzido pela agência de rating Moody’s sobre os impactos dos Jogos Olímpicos no Reino Unido mostra que o evento esportivo é “uma excelente oportunidade em termos de marketing” para as grandes empresas patrocinadoras, como Coca-Cola, McDonald’s, Adidas e Samsung, mas os efeitos da exposição na mídia são de “curta duração” para os demais segmentos envolvidos na preparação e realização dos jogos.

Mesmo em relação ao turismo, que tem uma “oportunidade de ouro” com o evento, os lucros devem ser moderados. “O impacto final dos Jogos será positivo », mas “menos importante”  do que se poderia imaginar baseado nas projeções do fluxo de turistas, destaca Richard Morawetz, um dos autores do trabalho.

Dados do WTTC, órgão que coleta dados mundiais do turismo, revelam que o setor representou 6,7% do Produto Interno Bruto britânico no ano passado, mas o aumento do número de turistas por causa das Olimpíadas de Londres contribuiria com acréscimo de apenas 0,07% no PIB deste ano.

No caso do setor de varejo, os Jogos Olímpicos trariam, no máximo, uma “medalha de prata”, diz o estudo. A “medalha de bronze” iria para algumas empresas do setor publicitário. A construção civil já aproveitou todo o potencial de lucros. Agora, explica o relatório, os investimentos de empresas como a siderúrgica ArcelorMittal  estão voltados para a Copa do Mundo do Brasil, em 2014, e para as Olimpíadas no Rio de Janeiro em 2016.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.