Espanha/recessão

Crescimento da Espanha tem queda ainda maior do que previsto

Filas nas agências públicas de emprego em Madri são reflexo da crise econômica na Espanha.
Filas nas agências públicas de emprego em Madri são reflexo da crise econômica na Espanha. REUTERS/Andrea Comas

A Espanha registrou em 2011 um crescimento de seu Produto Interno Bruto (PIB) de 0,4%  – menor dos 0,7% anunciados, segundo o Instituto Nacional de Estatística espanhol (INE). Os dados confirman a vulnerabilidade da economia do país mergulhado na recessão desde 2008.

Publicidade

Por outro lado, a evolução do PIB em 2010 foi revisto para cima pela organização e passou de 0,1% para 0,3%. Já as estatísticas de 2008 e 2009 foram mantidas em, respectivamente, -3,7% e 0,9%.

O INE explica que sua revisão integrou informações “de caráter estrutural” que não haviam sido considerados até agora, como dados dos setores de serviço e agricultura.

Quarta economia da Europa, em recessão desde 2008 devido ao setor da construção, a principal atividade do país, passa por dificuldades para se recuperar nestes últimos meses. O governo projeta um recuo do PIB de 1,5% em 2012 e de 0,5% em 2013.

Neste panorama, A Espanha encontra investidores cada vez mais desencorajados – o que aumenta a possibilidade que o país solicite uma salvação financeira à União Europeia nos próximos meses. O país já beneficia de linha de crédito de 100 bilhões de euros para socorrer seus bancos, montante que deve ser desbloqueado nas próximas semanas.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.