Les Echos elogia firmeza de Dilma nas negociações com o funcionalismo

Presidente Dilma Rousseff em Brasília, em 29/08/2012.
Presidente Dilma Rousseff em Brasília, em 29/08/2012. Reuters

O diário econômico Les Echos destaca hoje a firmeza com que a presidente Dilma Rousseff negociou a greve do funcionalismo durante três meses. Ela não fez concessões, escreve o jornal, e está prestes a vencer a batalha já que os funcionários públicos voltam ao trabalho na segunda-feira.

Publicidade

Les Echos afirma que Dilma não cedeu à pressão. Recém-eleita a terceira mulher mais poderosa do mundo pela revista Forbes, cita o diário, ela fez os funcionários públicos brasileiros compreenderem que eles formam uma categoria já privilegiada, "com emprego estável e salários mais altos do que no setor privado". O movimento que começou com reivindicações de até 70% de aumento de salários termina com a proposta de 16% parcelados em três anos concedida pela presidente. É uma vitória porque o reajuste corresponde praticamente à inflação, estima o Les Echos.

Para o diário econômico, Dilma se sai melhor do que Lula, mesmo com a queda do crescimento este ano devido à crise nos países mais industrializados. A cada dia, ela "se distingue do estilo de seu predecessor". Depois de fazer uma limpeza anticorrupção no ministério, Dilma se impõe perante o funcionalismo. Esse estilo "dama de ferro", escreve o jornal francês, agrada aos brasileiros. A popularidade de Dilma bateu novo recorde: 76% de aprovação e um governo com 57% de opiniões favoráveis. É melhor que Lula, decreta o Les Echos.

Les Echos relata que a greve teve momentos fortes, como quando os policiais estenderam uma faixa dizendo que o caminho estava livre para os traficantes de drogas.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.