Acessar o conteúdo principal
Economia

França precisará de novos cortes para equilibrar as contas públicas

Áudio 04:13
Ministro francês das Finanças, Pierre Moscovici, admitiu que a França não deve cumprir a meta de reduzir o déficit público a 3%.
Ministro francês das Finanças, Pierre Moscovici, admitiu que a França não deve cumprir a meta de reduzir o déficit público a 3%. REUTERS/Charles Platiau
Por: Lúcia Müzell
6 min

Os esforços sem precedentes do governo francês para melhorar a situação econômica do país demoram a surtir efeitos. O ministro das Finanças, Pierre Moscovici, anunciou que a previsão de crescimento para 2013, de parcos 0,8% deverá ser repensada. As autoridades admitiram que a meta de reduzir o déficit público para 3%, como recomenda a União Europeia, não será cumprida, essa que era uma das principais promessas de campanha do presidente socialista François Hollande.

Publicidade

Ou seja, mais cortes e provavelmente mais impostos vêm pela frente. Entre especialistas, é cada vez mais recorrente a análise de que o governo apostou demais na alta de impostas mas não investiu o suficiente na diminuição dos gastos. O professor da Sorbonne Antoine d'Autumme, especialista em política orçamentária, e o diretor do Instituto de Políticas Públicas da Escola de Economia de Paris, Antoine Bozio, analisam a situação.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.