Economia/OCDE

OCDE reduz previsão de crescimento mundial e do Brasil em 2013

OCDE publicou nesta quarta-feira, 29/05/2013, seu relatório semestral "Perspectivas Econômicas".
OCDE publicou nesta quarta-feira, 29/05/2013, seu relatório semestral "Perspectivas Econômicas". OCDE

A OCDE revisou para baixo a previsão de crescimento mundial. O crescimento este ano deve ser de 3,1% ao invés de 3,4% previstos anteriormente, anunciou nesta quarta-feira, 29/05/2013, a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico, sediada em Paris. A taxa de crescimento brasileira também foi reduzida para 2,9%.

Publicidade

O marasmo econômico persistente na Europa é um dos responsáveis pela queda na nova previsão de crescimento mundial em 2013, publicada hoje no relatório semestral “Perspectivas Econômicas” da OCDE. A recessão na Zona do Euro vai se acentuar de acordo com os cálculos dos especialistas da organização. A redução da atividade econômica do bloco será de -0,6% este ano. A última estimativa, mais otimista, previa uma taxa de -0,1%.

A situação continua frágil na Europa e, se o fraco desempenho persistir, “isso pode provocar consequências negativas para a economia mundial”, advertiu o relatório. Após esses dois anos de recessão, o bloco deve voltar a crescer em 2014, 1,1%. A OCDE considera que o desemprego histórico é o principal desafio dos governos do continente.

Em outras regiões, a crise recua. O Japão registra uma retomada do crescimento econômico espetacular. Graças à política do Banco Central japonês, a OCDE prevê que a economia da potência asiática irá crescer 1,6% este ano, ao invés de 0,7%, e 1,4% em 2014.

A taxa de crescimento da economia americana teve uma ligeira queda. Passou de 2% para 1,9% devido aos cortes orçamentários automáticos que entraram em vigor este ano explica a OCDE. Mas em 2014 a previsão é que os Estados Unidos vão crescer 2,8%, a maior taxa desde 2005.

Emergentes

O otimismo vem principalmente dos países não integrantes da OCDE. Apesar da desaceleração registrada no primeiro trimestre, a China deve crescer 7,8% e 8,4 % no ano que vem. Boas perspectivas também para Índia (+ 5,7 % e + 6,6 %) e Indonésia (+ 6 % e + 6,2 %). Entre os emergentes, o Brasil teve a previsão de crescimento reduzida este ano pela OCDE de 4% para 2,9%. Em 2014, a economia brasileira deve crescer de 3,5%.

A projeção da OCDE é que a situação da economia mundial vai começar a melhorar lentamente no segundo semestre do ano. A taxa de crescimento global prevista para 2014 é de 4%.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.