Acessar o conteúdo principal
Europa/Aviação

Airbus bate recorde histórico de encomendas líquidas de aviões em 2013

A Airbus bateu rercorde de vendas em 2013.
A Airbus bateu rercorde de vendas em 2013. REUTERS/Benoit Tessier
3 min

A Airbus anunciou nesta segunda-feira (13) que registrou o recorde de encomendas líquidas de aviões em 2013, com 1.503 pedidos, batendo a rival americana Boeing e estabelecendo o melhor desempenho de vendas na história da aeronáutica.

Publicidade

O fabricante europeu entregou 626 aviões comerciais no ano passado, continuando a aumentar a produção pelo 12° ano consecutivo, mas ficou atrás da Boeing, que entregou 648 aparelhos. O grupo americano, que tinha ultrapassado a Airbus em 2012 em encomendas e entregas, manteve a liderança apenas nas entregas.

A Airbus também bateu o recorde de encomendas brutas em 2013, ou seja, antes da dedução dos cancelamentos dos clientes. O consórcio europeu registrou 1.619 encomendas brutas, contra 1.531 para a Boeing. O fabricante de Seattle encerrou o ano com 1.355 encomendas líquidas, muito atrás dos 1503 pedidos confirmados da Airbus.

A carteira de encomendas da Airbus no final de 2013 registrava 5.559 aviões, o equivalente a oito anos de produção. A Boeing tinha 5.080 aeronaves encomendadas em seus resultados publicados no dia 6 de janeiro. O fabricante europeu reivindica 51% do mercado global de aviões de mais de 100 lugares.

Em um comunicado, a Airbus se declara satisfeita com a tendência das companhias aéreas de escolher aviões maiores em toda a linha de produtos, o que tem um efeito positivo sobre a rentabilidade da empresa. Os lucros vão aparecer nos resultados anuais do Grupo Airbus (antiga EADS ), que serão publicados no dia 26 de fevereiro.

Tráfego crescente

Em um mundo onde o tráfego de passageiros tem aumentado em média 5% ao ano, a demanda por novos aviões é tão grande que a Airbus estuda aumentar sua produção de aeronaves de médio porte. Atualmente, o fabricante europeu produz 42 aparelhos A320 por mês e não pretendia, inicialmente, aumentar esta produção antes de passar para a versão mais moderna do aparelho, o A320neo. Este novo modelo, com novos motores mais econômicos no consumo de combustível, deve ser entregue em 2015 e atingir a produção máxima em 2018.

"Acreditamos que há um potencial de aumento da produção para além de 42 aeronaves por mês e estamos estudando. ( ... ) Vamos confirmar nos próximos meses", disse hoje o presidente da Airbus. 

Este ano, a Boeing quer aumentar a produção mensal dos modelos 737 para 42 aeronaves para se igualar à produção do rival A320, e chegar a 47 aparelhos em 2017, um volume sem precedentes na história da indústria aeronáutica.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.