UE/ Grécia

Europeus se reúnem para tentar evitar saída da Grécia do euro

Bandeiras em frente ao Parlamento Europeu, onde acontecerá a cúpula dos líderes da zona do euro sobre a Grécia, em Bruxelas, Bélgica.
Bandeiras em frente ao Parlamento Europeu, onde acontecerá a cúpula dos líderes da zona do euro sobre a Grécia, em Bruxelas, Bélgica. REUTERS/Francois Lenoir

Uma cúpula excepcional da zona do euro tenta encontrar, nesta terça-feira (7), uma solução para a dívida grega e evitar a saída da Grécia do bloco. As negociações em Bruxelas começam por uma reunião dos ministros das Finanças do Eurogrupo, que contará com participação do novo ministro grego das Finanças, Euclides Stakolotos. Ele substitui Yanis Varoukafis, que pediu demissão ontem.

Publicidade

No fim da tarde, um encontro dos líderes dos 19 paises da zona do euro encerra a jornada de negociações. Reforçado pela vitória esmagadora do “não” no referendo de domingo, o primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, deve apresentar novas propostas de reformas para tentar um acordo sobre novos empréstimos ao país.

O presidente da Comissão Europeia, Jean Claude Junker, disse nesta manhã que deseja evitar a saída da Grécia da zona do euro e que Bruxelas se prepara para reabrir as negociações com Atenas.

O primeiro-ministro da França, Manuel Valls, afirmou que “uma concepção de mundo” está em jogo na cúpula de hoje, e que Paris “fará de tudo” para evitar que os gregos deixem a zona do euro. Para ele, a saída de um país da moeda única europeia significaria não apenas um risco para a economia mundial, como um risco político.

“É a Europa que está sendo questionada”, observou. Valls destacou que as bases para um acordo entre Atenas e os credores “existe”. “A história pode ser trágica. Não se deve brincar com a história ou com um país como a Grécia”, afirmou.
 

União de Hollande e Merkel

Nesta segunda-feira (6), o presidente francês, François Hollande, e a chanceler alemã, Angela Merkel, se reuniram em Paris e tentaram mostrar afinidade diante da crise grega. Eles afirmaram que a porta esta aberta às negociações com Atenas. Merkel, no entanto, considera que a última versão do acordo proposto pelos credores da Grécia, rejeitada pelos gregos no referendo, é generosa.

As agências bancárias permanecem fechadas na Grécia pelo menos até a próxima quinta-feira. O Banco Central Europeu vai manter uma assistência de liquidez emergencial para os bancos do país.

(com informações Reuters e AFP)
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.