Petróleo despenca e registra cotação mais baixa dos últimos 12 anos

Campo de extração de petróleo em Bakersfield, na Califórnia.
Campo de extração de petróleo em Bakersfield, na Califórnia. REUTERS/Lucy Nicholson/Files
Texto por: RFI
2 min

O barril do petróleo chegou a ser negociado, nesta terça-feira (12), por menos de US$ 30 em Nova York. Essa é a primeira vez desde dezembro de 2003 que o preço do bruto registra valores tão baixos.

Publicidade

Por volta das 17h10 de Brasília, o barril de "light sweet crude" (WTI) para entrega em fevereiro perdia US$ 1,28, sendo negociado a US$ 30,13, após ter sido cotado a US$ 29,93, um nível ao qual não tinha caído em 12 anos. O produto registra queda pela sétima sessão consecutiva.

A cotação do petróleo já acumulou mais de 30% de declínio em 2015 e uma baixa de cerca de 20% apenas este ano. Além de Nova York, os preços também despencaram em Londres, onde o barril do Brent foi negociado por pouco mais de US$ 30.

Segundo especialistas, a queda nos preços tem se intensificado principalmente por causa do aumento nos estoques do combustível. A situação vem piorando desde o final de 2015, quando a Organização dos países produtores de petróleo (Opep) decidiu que não iria intervir nos limites de produção do grupo.

Crise na Chine pode piorar a situação

Para Andy Lipow, da consultoria Lipow Oil Associates, “para que o mercado se estabilize, é necessário que a produção continue a ser reduzida nos Estados Unidos e que os investimentos continuem a diminuir”. No entanto, essas medidas só apresentação resultado “se a demanda mundial aumentar”.

No entanto, o mercado está cada vez mais preocupado com a situação da China. Primeiro importador mundial de petróleo, o país asiático vem apresentando uma desaceleração econômica que pode ter um impacto direto no consumo do combustível.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.