França/ Argentina

Hollande diz a Macri que Brexit não afasta UE da América Latina

Presidente francês, François Hollande, recebeu o argentino Mauricio Macri no palácio do Eliseu, neste sábado (2).
Presidente francês, François Hollande, recebeu o argentino Mauricio Macri no palácio do Eliseu, neste sábado (2). REUTERS/Philippe Wojazer

O presidente francês, François Hollande, recebeu o argentino Mauricio Macri neste sábado (2), em Paris, para uma visita oficial. Hollande garantiu que a saída do Reino Unido da União Europeia, apelidada de Brexit, não vai perturbar “a aproximação entre os europeus, os latino-americanos e os argentinos”.

Publicidade

Especialistas indicam que a retirada dos britânicos deve atrasar as negociações de um acordo de livre comércio entre o Mercosul e a União Europeia, debatido há 16 anos. O Reino Unido, de economia tradicionalmente liberal, é considerado o país europeu mais favorável à ampliação de tratados como este.

Logo depois da reunião entre Hollande e Macri, um comunicado divulgado pelo palácio do Eliseu, sede do governo francês, minimiza a hipótese de afastamento entre os dois blocos, em caso de saída dos britânicos. Para o presidente da França, a proximidade entre ambos “deve ser cada vez mais estreita”.

“A reunião foi muito boa. Falamos da troca de ofertas [de acordo] com a União Europeia. Sabemos que as propostas foram escassas até agora, mas é um começo”, ressaltou Macri, referindo-se às proposições apresentadas em maio pelos dois blocos. "Esperamos que, além do Brexit, que tem tido um grande impacto para a União Europeia, continuemos avançando em melhorias [das ofertas] e que as trocas se transformem em um caminho concreto de integração e de troca", disse o argentino, em uma coletiva de imprensa.

Reformas unem os dois presidentes

Em fevereiro, o socialista esteve em Buenos Aires para conhecer o presidente argentino, que tomou posse em dezembro passado. No comunicado deste sábado, Hollande parabeniza o governo argentino “pela vontade de reformar” e deseja ver “afirmado o papel da Argentina na região e no mundo, para a paz, a estabilidade e o crescimento”.

Macri, de centro-direita, tem aberto uma nova fase econômica no país, com mudanças de tendência liberal que provocam tensões sociais no país. Neste aspecto, os dois presidentes têm semelhanças: Hollande tenta aprovar uma polêmica lei trabalhista, que atinge direitos sociais dos trabalhadores, em troca de flexibilizar o mercado para combater o desemprego. A reforma tem sido alvo de protestos regulares na França.

A França é a primeira etapa de um giro pela Europa iniciado neste sábado pelo presidente argentino. O principal objetivo da viagem é reforçar as trocas comerciais com a União Europeia. De Paris, ele segue para Bruxelas (Bélgica), onde será recebido pelo presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, e a chefe da Diplomacia do bloco, Federica Mogherini, na segunda-feira (4), e depois a Berlim (Alemanha), para se encontrar com a chanceler Angela Merkel.

Com informações da AFP
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.