Acessar o conteúdo principal
RFI Convida

Presidente da Firjan: Lava Jato abala empresários, mas melhora o Brasil

Áudio 07:04
Eduardo Eugênio Gouvêa Vieira, presidente da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro.
Eduardo Eugênio Gouvêa Vieira, presidente da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro. RFI
Por: RFI

A avalanche de notícias negativas sobre o Brasil pegou muitos investidores estrangeiros de surpresa. A economia do país despencou e o Brasil tenta retomar a confiança perdida, em meio à recessão, à crise política e informações preocupantes sobre as Olimpíadas no Rio de Janeiro, como a ameaça à segurança do evento. O presidente da Firjan (Federação das Indústrias do Rio de Janeiro), Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira, esteve em Paris para se encontrar com empresários franceses e mostrar que há razões para otimismo quanto ao futuro do país.

Publicidade

Em entrevista à RFI, ele ressalta que os investimentos estrangeiros refletem uma visão estratégica de longo prazo. Mesmo com a crise, o Brasil segue representando um mercado valioso de 200 milhões de consumidores, além de ser rico em recursos naturais, em especial o petróleo.

“Já passou no Senado e agora vai à Câmara retirar a obrigação da Petrobras de estar em todos os leilões. Isso vai fazer com que as empresas estrangeiras se interessem mais por este domínio", disse Vieira, ressaltando o caso da francesa Total que, segundo ele, “está muito interessada” nas perspectivas que se abrirão no país. O presidente da Firjan deu uma palestra na embaixada brasileira sobre “os desafios e oportunidades no Rio de Janeiro”, promovida pela Câmara de Comércio Brasil-França.

Vieira avalia que, apesar do furacão que causou no meio empresarial, a operação Lava Jato passa uma imagem positiva do país, ao forçar uma nova maneira de fazer negócios, mais limpa.

“Afetar, afeta, mas o mais importante é que a cabeça do brasileiro começa a mudar para melhor, para um país mais justo em que ninguém está impune. Nós temos que viver em uma sociedade civilizada em que não pode existir os ganhadores, os espertos, e os outros, os mortais”, comentou. “Tenho certeza de que essa agenda, que é dura e pode trazer incertezas, vai fazer o Brasil sair muito melhor do que entrou, no final.”
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.