Jogos de Commonwealth

Sujeira e desorganização ameaçam Jogos de Commonwealth na Índia

Crianças de rua brincam em frente a um cartaz dos Jogos do Commonwealth.
Crianças de rua brincam em frente a um cartaz dos Jogos do Commonwealth. Reuters

Atrasos nos preparativos, ameaças de dengue, boicote de atletas, instalações imundas. A Índia enfrenta uma enxurrada de críticas na organização dos Jogos de Commonwealth, que reúnem, a cada 4 anos, os países que fizeram parte do império colonial britânico.

Publicidade

O evento, que começa no próximo domingo, tinha tudo para ser uma festa, mas a cada dia aparecem novos problemas. Os jogos do Commonwealth deviam ser a vitrine da Índia do século 21, mostrando um país moderno e organizado. O objetivo dos indianos era fazer melhor do que a China nos Jogos Olímpicos de Beijing, em 2008.

Por isso, montaram um projeto fabuloso com aeroporto novo, metro e vila olímpica de luxo. Um programa tão ambicioso, que não foi terminado a tempo para a abertura dos jogos.

O principal escândalo veio da vila olímpica, que o presidente da Federação dos Jogos da Comunidade, Michael Fennel, descreveu como tendo quartos "imundos e inabitáveis". O que aconteceu? uma semana antes da chegada dos esportistas, os operários ainda estavam vivendo, cozinhando e usando os banheiros da vila olímpica inacabada.

Além da sujeira, a capital indiana sofre ameaças de ataques terroristas e de uma epidemia de dengue. Como consequência, vários atletas estão boicotando os jogos, entre eles o célebre sprinter jamaicano Usain Bolt.

Frente à onda de críticas, os indianos estão divididos. A elite e os intelectuais acham que o país se ridiculizou, mas há também muitas pessoas que recusam as críticas, entre eles o chefe do comitê organizador local, Suresh Kalmadi, que fala de ‘conspiração ocidental’, e de países com inveja da Índia. 
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.