FIFA e COI confiantes na capacidade do Brasil garantir a segurança do Mundial e das Olimpíadas

O Rio de Janeiro precisa ser pacificado para receber a Copa do Mundo em 2014 e os Jogos Olímpicos em 2016 .
O Rio de Janeiro precisa ser pacificado para receber a Copa do Mundo em 2014 e os Jogos Olímpicos em 2016 . Reuters

A Federação Internacional de Futebol, FIFA, e o Comitê Olímpico Internacional, COI, têm confiança nas autoridades brasileiras para garantir a segurança da Copa do Mundo 2014 e das Olimpíadas de 2016. As duas entidades esportivas internacionais não se pronunciaram oficialmente sobre a recente onda de violência no Rio de Janeiro e a ofensiva policial contra os traficantes, mas atendendo a pedido da RFI enviaram nesta segunda-feira, por e-mail, nota a redação brasileira em Paris.

Publicidade

A FIFA lembra que os esquemas de segurança da Copa do Mundo são de responsabilidade exclusiva dos países organizadores. Salientando que as autoridades brasileiras já trabalham em estreita colaboração com estruturas internacionais de segurança, como a Interporl, a nota da FIFA afirma sua inteira confiança de que o Brasil vai montar esquemas de segurança adaptados para a realização da Copa do Mundo 2014.

Mesma confiança na nota do COI. O Comitê Olímpico Internacional ressalta que a segurança é um aspecto importante em qualquer Olimpíada, independentemente do local onde ela aconteça. O COI lembra que o Rio de Janeiro e o Brasil ja deram provas no passado de serem capazes de organizar com segurança eventos esportivos. A entidade discutiu a questão da segurança com o Comitê Organizador do Rio 2016 e está confiante de que daqui a seis anos os Jogos Olímpicos serão seguros, diz a nota.

A próxima visita ao Brasil de técnicos do Comitê Internacional que coordenam os preparativos dos Jogos Olímpicos será no início de dezembro. Nos dias 7 e 8, um delegação do COI dirigida pelo presidente da entidade, Jacques Rogge, vai lançar no Rio a logomarca das Olimpíadas 2016 na cidade.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.