Tênis/Roland Garros

Dois tenistas entraram para a história em Roland Garros

O espanhol Rafael Nadal comemora a vitória em Rolanda Garros, no domingo 5 de junho de 2011.
O espanhol Rafael Nadal comemora a vitória em Rolanda Garros, no domingo 5 de junho de 2011. Reuters

Dois tenistas entraram para a história neste final de semana, após o encerramento de Roland Garros: a chinesa Li Na, a primeira atleta do país a vencer o torneio francês; e o espanhol Rafael Nadal, que conquistou o sexto troféu no saibro parisiense.  

Publicidade

"Six señor", é o elogio em forma de trocadilho de Libération ao tenista espanhol. O jornal lembra que Nadal igualou, trinta anos depois, um recorde que muitos achavam imbatível, o do sueco Bjorn Borg, que dominou o tênis mundial no início dos anos 80. Nadal tem apenas 25 anos, ressalta o L'Equipe, apostando que o espanhol irá igualar em breve um outro recorde, o do suíço Roger Federer de 16 vitórias em Grand Slam. Mas Federer, atual número três do mundo, mostrou ontem na final em Roland Garros contra Nadal que ainda é um atleta excepcional e tem chances de conquistar ainda muitas vitórias. Os dois tenistas tem de novo encontro marcado no torneio de Wimblendon, que começa em breve na Inglaterra.

Quanto a Li Na, L'Equipe diz que a rainha de Roland Garros é imperatriz em Xangai e que a China inteira, imprensa, fãs e autoridades, não economizam superlativos para comemorar a vitória histórica da tenista no saibro parisiense. Libération informa que a chinesa, que conquistou o torneio francês ao vencer a italiana Schiavone no sábado, é uma tenista rebelde. Ao contrário de vários atletas chineses, ela não agradeceu a China por sua vitória e alguns representantes do governo chinês acusam Li Na de não ter patriotismo, ressalta Libération.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.