Futebol/Argentina

Quebra-quebra em Buenos Aires após rebaixamento do River Plate

Torcedores do River Plate indignados com o rebaixamento à segunda divisão do time.
Torcedores do River Plate indignados com o rebaixamento à segunda divisão do time. Reuters

O gigante River Plate, o clube argentino com mais títulos na história precisava de dois gols de diferença contra o modesto Belgrano para evitar o abismo de um rebaixamento à segunda divisão. Não conseguiu. Indignados, os torcedores enfrentaram a polícia e destruíram tudo o que viram pela frente. Buenos Aires virou uma praça de guerra.  

Publicidade

Márcio Resende, correspondente da RFI em Buenos Aires

Incrédulos com o empate de 1 a 1, os 50 mil torcedores no estádio Monumental de Nuñez oscilaram entre a tristeza profunda e fúria descontrolada. Das lágrimas, os mais exaltados começaram destruir as cadeiras de madeira e a lançar os restos nos policiais que cercavam o campo de jogo e protegiam os jogadores. A Polícia respondeu com jatos d’água.

Molhados e sob o frio intenso de 5 graus, a violência se generalizou. Na saída do estádio, os torcedores destruíram instalações do Clube. Também agrediram jornalistas. Houve correria e confronto com a Polícia que lançava bombas de gás lacrimogêneo. O contra-ataque era com pedras e com o incêndio de cestas de lixo e até de automóveis.

O vandalismo expandiu-se pelas imediações do estádio. Lojas foram destruídas, comércios saqueados. As ruas residenciais viraram cenário de uma batalha com 72 feridos, dos quais 25 policiais.A Justiça ordenou a interdição do estádio. Será preciso correr para consertar as cadeiras quebradas. A final da Copa América será no dia 24 de julho no estádio.

Rebaixamento histórico

Com o primeiro gol logo aos 5 minutos de jogo, os torcedores do River Plate explodiram de alegria em todo o país. Mas a alegria virou tensão à medida que o segundo necessário gol não acontecia. E tornou-se tragédia com o empate final do Belgrano.

Ainda no estádio, o torcedor Diego Centenari não acreditava no que via. Para ele, essa mancha na história e essa dor no coração serão para sempre.

Na Argentina, o sistema está pensado para que os grandes clubes como o River Plate ou o Boca Juniors não sejam rebaixados. É uma média de pontos dos últimos três anos em seis campeonatos. Mesmo assim, o River Plate conseguiu cair para a segunda divisão, depois de 110 anos de história.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.