Acessar o conteúdo principal
Fórmula 1

Vettel vence GP do Bahrein em meio a críticas de opositores ao regime

O alemão Sebastien Vettel, vencedor do GP do Bahrein, neste domingo, 22 de abril.
O alemão Sebastien Vettel, vencedor do GP do Bahrein, neste domingo, 22 de abril. Reuters
3 min

O bi-campeão da Fórmula 1, o alemão Sebastien Vettel, conquistou neste domingo o GP do Bahrein, sua primeira vitória na temporada. A corrida foi realizada sem incidentes apesar das manifestações dos opositores que pedem reformas políticas no país.

Publicidade

Vettel da Red Bull largou na pole position e dominou todo o GP e cruzou a linha de chegada à frente do finlandês Kimmi Raikkonen e do francês Romain Grosjean, ambos da Lotus. Foi a primeira vez que o piloto francês de 26 anos subiu ao pódio na carreira.

Vettel, de 24 anos, conquistou no circuito de Sakhir a 22ª vitória na carreira. “ Foi uma corrida difícil, muito disputada”, afirmou o alemão. Seu companheiro de equipe na Red Bull, Mark Webber chegou em quarto à frente do alemão Nico Rosberg, da Mercedes e do britânico Paul di Resta, da Force India. O espanhol Fernando Alonso chegou em sétimo e o britânico Lewis Hamilton da McLaren cruzou a linha de chegda em oitavo. Felipe Massa, da Ferrari, terminou em nono lugar e Bruno Senna, da Williams- Renault, foi o último colocado na 22ª posição.

Com a vitória, Vettel assume a liderança do mundial de pilotos com 53 pontos, quatro a mais que Lewis Hamilton.

O Grande Prêmio aconteceu em meio a uma atmosfera muito tensa devido aos confrontos entre opositores e policiais. Os manifestantes denunciaram a realização do Grande Prêmio visto por eles como uma operação de relações públicas para da família real sunita que reprime com violência a oposição de maioria xiita.

A morte de um manifestante de 36 anos na noite de sexta-feira, a 36ª vítima desde o início da revolta popular, contribuiu para aumentar a tensão.

O funeral poderia ocorrer ainda neste domingo caso o corpo do manifestante seja entregue à família, o que desencadeou preocupações de que poderia dar origens a novas manifestações. As autoridades do Bahrein podem também conservar o corpo da vítima durante vários dias como tem feito em outros casos.

O clima também se deteriorou com o início da greve de fome de Abdulhadi al Khawaja, de 70 anos, um dos 14 homens detidos por envolvimento na revolta contra o regime no ano passado.

O rei do Bahrein, Hamad bin Issa al Khalifa, que assistiu ao GP no domingo, afirmou em um comunicado divulgado no sábado de que iria cumprir seu compromisso de fazer reformas e promover a reconcialiação no país.

Os opositores ao regime e também defendores dos Direitos Humanos também criticaram durante o silêncio dos participantes da Fórmula 1 e a preocupação deles unicamente com a segurança envolvendo o evento.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.