Irã/esporte

FIFA pede no Irã o fim da proibição de mulheres em estádios

Captura vídeo de conferência com o presidente da Fifa, Joseph Blatter, em Teerã.
Captura vídeo de conferência com o presidente da Fifa, Joseph Blatter, em Teerã.

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, pediu durante sua visita a Teerã, o fim da proibição da presença de mulheres nos estádios, o que segundo ele, freia o desenvolvimento do esporte feminino. Ele também indicou que em fevereiro a entidade vai anunciar sua decisão sobre o uso de véu islâmico dentro dos gramados. 

Publicidade

Segundo as autoridades iranianas, a presença das torcedoras não é autorizada para protegê-las dos insultos proferidos pelos homens. A proibição deu origem ao filme “Fora do Jogo”, do diretor Jafar Panahi, vencedor do Festival de Berlim, em 2006.

“Tive a oportunidade de pedir à vice-presidente (encarregada do Meio Ambiente e defensora dos direitos das mulheres no Irã) Massoumeh Ebtekar se o governo poderia mudar uma das leis culturais dizendo que as mulheres não podem assistir jogos de futebol”, explicou Joseph Blatter que começou na quarta-feira uma visita ao Irã.

Blatter também disse ter insistido no assunto com o presidente do Parlamento, o conservador Ari Larijani, que prometeu encaminhar o pedido. O fim dessa proibição "seria favorável ao futebol feminino que evolui tão bem aqui e quero dizer que as mulheres deveriam poder ir ao estádio”, acrescentou o suíço, deixando claro que não teria feito um intervenção no sentido de mudar a lei.

Véu islâmico

Blatter também informou que a decisão final sobre a autorização do véu islâmico no futebol feminino será tomada pelo comitê da Federação Internacional de Futebol (Ifab, na sigla em inglês), órgão que fixa as leis do futebol, durante uma reunião no dia 28 de fevereiro de 2014.

A questão do véu islâmico envolve a cultura de países islâmicos mas as mulheres praticam esportes “normalmente vestidas” em muitos países, disse Blatter, citando principalmente nações do norte da África. A Ifab já havia autorizado um período de experiência sobre o porte do véu islâmico para as jogadoras atendendo um pedido feito no dia 5 de julho de 2012 pela Confederação asiática de futebol e pelo príncipe Ali Bin al Hussein da Jordânia, um dos seis vice-presidentes da Fifa.

Esta decisão poderá permitir que todas as mulheres possam praticar o futebol, o que não era o caso devido a restrições religiosas. A notícia foi bem recebida pela comunidade muçulmana, mas as associações feministas se manifestaram contra.

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.