Formula 1

Marussia terá apenas um carro no GP da Rússia em respeito a piloto acidentado

O carro do piloto francês Jules Bianchi ficou parado nos boxes da Marussia nesta sexta-feira, 10 de outubro.
O carro do piloto francês Jules Bianchi ficou parado nos boxes da Marussia nesta sexta-feira, 10 de outubro. Foto: Reuters

A escuderia Marussia decidiu nesta sexta-feira (10) não substituir o francês Jules Bianchi no Grande Prêmio da Rússia a ser disputado no próximo domingo (12). O piloto segue em estado crítico e, segundo seu pai, luta contra a morte como sempre lutou nas pistas.

Publicidade

Em comunicado, a Marussia afirma ter tomado uma "decisão apropriada diante das circunstâncias difíceis deste final de semana." Segundo a escuderia, a decisão é um grande "sinal de respeito" com o piloto que sofreu um traumatismo craniano severo após o acidente no GP do Japão, no último domingo (5).

O carro dele bateu em alta velocidade contra um guincho que rebocava uma máquina da escuderia Sauber. A Federação Internacional de Automobilismo abriu uma investigação para identificar eventuais falhas de segurança no circuito de Suzuka.

Para o GP da Rússia, o primeiro a ser realizado no país, a Marussia decidiu mandar para as pistas apenas o carro do piloto Max Chilton. O americano Alexander Rossi, piloto reserva e inscrito na quinta-feira (9) na lista de participantes do GP, terá que se contentar em ver a corrida dos bastidores do circuito de Sotchi.

Os primeiros treinos livres para o GP da Rússia começaram nesta sexta-feira com apenas 21 carros nas pistas.

Piloto luta no hospital como nas pistas

Em entrevista publicada nesta sexta-feira (10) pelo jornal francês Nice-matin, o pai do piloto, Philippe Bianchi, disse que seu filho tem no hospital a mesma postura que em um circuito da Fórmula 1.

"Jules luta como sempre lutou. Como em uma corrida. Ele é forte, tem 25 anos. É um atleta", afirmou em entrevista feita na frente do hospital de Yokkaichi, onde está internado o filho. Na quinta-feira, ele afirmou que o estado de saúde de Jules continua estável.

"O comunicado publicado na terca-feira pela equipe Marussia continua válido, sem mudança considerável. Todo mundo sabe que ele se encontra em uma fase crítica. Para um traumatismo desse tipo, os dez primeiros dias são normalmente difíceis, cruciais", acrescentou. "Diante da gravidade do seu caso e na situação atual, difícil dizer algo a mais", concluiu.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe todas as notícias internacionais baixando o aplicativo da RFI