Futebol/Europa

"Chegar a mil gols é difícil", diz Cristiano Ronaldo

Cristiano Ronaldo escreveu mais uma vez seu nome na história do Real Madrid.
Cristiano Ronaldo escreveu mais uma vez seu nome na história do Real Madrid. REUTERS/Anders Wiklund

Cristiano Ronaldo entrou mais uma vez na história do Real Madrid ao igualar nesta quarta-feira (30) o recorde de gols como artilheiro da equipe. Com os dois gols marcados na vitória de 2 a O sobre o Malmo, da Suécia, pela segunda rodada da Liga dos Campeões da Europa, o português chegou a incrível marca de 501 gols na carreira, sendo 323 com a camisa merengue, mesma marca de Raúl, outro grande ídolo do Real Madrid.

Publicidade

Com a incrível média acima de um gol por jogo desde que chegou ao Real Madrid, em 2009, CR7 alcançou a marca de Raúl disputando 308 jogos. O atacante espanhol precisou balançar as redes em 741 partidas (entre 1994 e 2010) para celebrar os 323 gols. O jogador mítico da equipe, Alfredo Di Stéfano, é o terceiro maior artilheiro do clube com 307 gols.

O novo recorde de Cristiano Ronaldo foi registrado após o português ter superado Raúl como melhor artilheiro do Real Madrid no campeonato espanhol em 12 de setembro, quando marcou cinco gols na goleada sobre o Espanyol Barcelona.

Ontem, com os dois gols na vitória sobre o Malmo, o atacante português superou o espanhol como artilheiro pela Liga dos Campeões: foram 67 gols contra 66 de Raúl. "Raúl me cumprimentou, me enviando uma mensagem", declarou Ronaldo após a partida, reforçando que o ex-ídolo do time espanhol "falou com o coração".

Difícil superar Pelé

Sobre a possibilidade de atingir os mil gols, o atacante português reconheceu que não será fácil atingir a incrível marca do Rei Pelé. "Mil gols? Isso é difícil... Mas o principal é que consegui aquilo que tinha de conseguir, que era ser o maior artilheiro da história do Real Madrid", declarou.

Cristiano Ronaldo pretende "desempatar" sua marca com Raúl e se tornar o maior artilheiro de todos os tempos do clube merengue já no próximo domingo, no clássico contra o Atlético de Madrid, pelo campeonato espanhol.

O atual Bola de Ouro da Fifa rompeu um silêncio de seis meses sem falar com a imprensa e escolheu um dia especial para se expressar. " Não queria falar. Quando se não quer falar, ninguém pode te obrigar. Falo quando quiser", disparou.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.