Doping/Rússia

FIA decide hoje se Rússia poderá participar de Olimpíadas no Rio

O laboratório antidoping da Rússia, onde quase 1.500 amostras suspeitas de atletas russos teriam sido destruídas.
O laboratório antidoping da Rússia, onde quase 1.500 amostras suspeitas de atletas russos teriam sido destruídas. REUTERS/Sergei Karpukhin
Texto por: RFI
3 min

A Federação Internacional do Atletismo (FIA) decide, na noite desta sexta-feira (13) se vai suspender a Rússia das competições por tempo indeterminado, uma dura decisão que pode resultar na exclusão do país dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro em 2016. Na segunda-feira (8), a Agência Mundial Antidoping (WADA) revelou um vasto esquema de doping e corrupção no atletismo russo que envolve atletas, laboratórios e até membros do alto escalão do governo.

Publicidade

Nesta manhã, o ministro russo dos esportes, Vitali Moutko, indicou que o país está disposto a criar uma nova agência antidoping. Na quarta-feira (10), Mutko já havia demonstrado mais flexibilidade sobre a questão, considerando até mesmo a possibilidade de nomear um especialista estrangeiro para comandar o laboratório de Moscou, já que seu diretor, Grigori Rodtchenkov, pediu demissão na terça-feira (9). Essa foi a primeira consequência desse escândalo sem precedentes. Rodtchenkov teria destruído quase 1.500 amostras suspeitas de doping.

A FIA estabeleceu este fim de semana como prazo para que a Rússia desse respostas convincentes sobre as denúncias. Ontem à noite, o presidente interino da Federação de Atletismo do país, Vadim Zelitchnok, indicou que já enviou um relatório com as informações que provariam a inocência da Rússia. "Não tem importância quantas páginas tem o documento, seja uma ou cem", disse Zelitchnok ao ser questionado pelos jornalistas.

Participação nas Olimpíadas 2016

Na quarta-feira, Moscou, até então inflexível sobre sua inocência, deu os primeiros sinais de que pretende promover mudanças para evitar a suspensão. Em uma reunião realizada com os dirigentes esportivos russos em Sotchi, o presidente Vladimir Putin disse que vai implementar todos os esforços contra a possível suspensão da Rússia dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. O chefe de Estado também pediu que haja "uma cooperação mais aberta e profissional com as estruturas internacionais antidoping".

Em entrevista publicada nesta sexta-feira pelo jornal britânico The Guardian, Mutko também descartou qualquer boicote do país às Olimpíadas, até mesmo em caso de suspensão das competições de atletismo. "Não está previsto nenhum boicote, em nenhum lugar", assegurou descrevendo a Rússia como um "parceiro confiável do movimento olímpico mundial".

Apoio de Serguei Bubka

A Rússia recebeu o apoio do ucraniano Serguei Bubka, lenda viva do atletismo, que participará da decisão sobre a suspensão por ser vice-presidente da FIA. "Todos os envolvidos, dirigentes ou treinadores, precisam pagar o preço, mas aqueles que não têm relação com o escândalo do doping não podem perder nenhuma competição", opinou Bubka, que detém há mais vinte anos o recorde mundial do salto com vara ao ar livre (6.14 m).

Campeão olímpico nas Olimpíadas de Seul, em 1988, o próprio atleta foi "vítima" de um boicote, em 1984, quando não pôde participar dos Jogos de Los Angeles, por conta da não participação do bloco comunista, em meio às tensões diplomáticas da Guerra Fria.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.