Tênis

Andy Murray conquista pela segunda vez torneio de tênis de Wimbledon

Andy Murray celebra vitória no torneio de tênis de Wimbledon.
Andy Murray celebra vitória no torneio de tênis de Wimbledon. REUTERS/Stefan Wermuth

O britânico Andy Murray conquistou pela segunda vez na carreira o torneio de tênis Wimbledon. Ele derrotou neste domingo (10) o canadense Milos Raonic, número 7 do mundo, em três sets, 6-4, 7-6 (7/3), 7-6 (7/2).

Publicidade

Murray impôs um jogo sólido do início ao fim, com grande qualidade na devolução de saque e muita resistência nas longas trocas de bolas, encurralando o grandalhão Raonic, que baseia seu jogo na força de seu impressionante saque.

O tenista da casa entrou na partida disposto a não quis desperdiçar a chance de mais uma vez conquistar o título do prestigioso torneio londrino diante de sua torcida. Murray não vencia um Grand Slam há três anos, sempre acabando superado por seus três algozes, Rafael Nadal, Roger Federer e principalmente Novak Djokovic.

O sérvio, atual número 1 do mundo, derrotou Murray nas três finais de Grand Slam que o britânico disputou neste período: duas vezes no Aberto da Austrália (2015, 2016) e em Roland Garros, em junho.

No final da partida, Murray comemorou o título com entusiasmo e chegou a emocionar seu técnico, a lenda do tênis Ivan Lendl, famoso pela frieza. Há um mês, Lendl voltou a treinar o tenista para ajudar o pupilo.

Este é o terceiro título de Grand Slam do escocês de 29 anos, que já havia vencido o US Open-2012 e a edição de 2013 de Wimbledon.

Serena é hepta em Wimbledon e iguala Graf com 22 Grand Slams

Depois de amargar dois vice-campeonatos seguidos, a norte-americana Serena Williams enfim conseguiu igualar a marca de Steffi Graf ao conquistar no sábado (9) o 22º Grand Slams da sua carreira, faturando o título em Wimbledon pela sétima vez, com vitória por 7-5 e 6-3 sobre a alemã Angelique Kerber. A número um do mundo, que não ganhava uma competição dessa categoria desde a última edição do torneio londrino, deu o troco na adversária que a derrotou na final do Aberto da Austrália, em janeiro.

Aos 34 anos, Serena corria atrás da marca de Graf desde o ano passado, quando perdeu em casa na semifinal do US Open, antes dos vice-campeonatos em Melbourne e em Paris.

(Com informações da AFP)
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.