Acessar o conteúdo principal

“Temos Plano A e B contra o México”, revela Thiago Silva

Thiago Silva, durante coletiva de imprensa na véspera do jogo contra o México.
Thiago Silva, durante coletiva de imprensa na véspera do jogo contra o México. Foto: Reuters
Texto por: Elcio Ramalho
3 min

Escolhido pelo treinador Tite para ser o capitão da seleção brasileira contra o México, o zagueiro Thiago Silva admitiu na entrevista coletiva deste domingo (1°), em Samara, que a comissão técnica elaborou dois planos táticos diferentes para enfrentar os adversários das oitavas de final.

Publicidade

Do enviado especial a Samara

“A equipe está bem preparada para este confronto, diante de uma seleção que mostrou uma qualidade enorme na primeira fase e vai querer também ir para as quartas de final. Vamos ter que jogar com muita concentração. A gente tem plano A e plano B para este jogo e esperamos fazer uma grande exibição”, afirmou.  “O nosso primeiro objetivo é jogar bem. Quando você joga bem, você está próximo da vitória”, acrescentou  

Sobre os mexicanos, Thiago afirmou conhecer bastante os atacantes, Chichiarito, Lozano e Carlos Vela, que foram destaque principalmente na vitória de 1 a 0 do México sobre a Alemanha, na estreia da equipe na Copa. “É um trio de muita qualidade técnica, inteligente. Sabem ocupar os espaços como ninguém. Todo cuidado é pouco, mas não apenas com eles”, disse.  

Thiago também descorda da avaliação de que a seleção brasileira não correspondeu às expectativas nos jogos da primeira fase, mas concordou com a percepção de que o time melhorou no decorrer da competição. “A nossa evolução foi grande, principalmente depois do primeiro jogo, onde muitos falaram que a seleção não jogou bem. Eu não concordo, foi uma equipe equilibrada, sabia o que queria dentro do jogo.  Vencemos o segundo jogo, o que nos dá muita motivação para jogar com a confiança mais elevada. A tendência é melhorar com os jogos”.

"Transformação" em campo

Afirmando ser tímido fora do estádio e avesso às entrevistas, o jogador disse que se transforma em campo. “Eu falo bastante, chegou a ser chato por este aspecto. No final do jogo, até reclamam e pedem 'pare de falar um pouquinho'”, lembrou, sorridente.

Por outro lado, suas orientações também levam motivação aos outros companheiros, como destacou Casemiro. Thiago lembrou que não faz gestos em campo desde que foi repreendido por um ex-companheiro do Fluminense ao ter aberto os braços. “'Não faz isso não, Thiago, é muito feio', ele me disse. Desde então, nunca mais abri os braços nem gesticulei porque era muito feio para mim também”, admitiu.  

Thiago Silva foi escolhido pela segunda vez por Tite para segurar a braçadeira de capitão, depois de ter comandado a equipe na vitória contra a Costa Rica, pela segunda rodada da Copa.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.