Torcedores do PSG esquecem pandemia, se aglomeram nas ruas, e preocupam autoridades para final da Liga

Torcedores celebram a vitória do Paris Saint-Germain sobre o RB Leipzig e esquecem o contexto de crise sanitária
Torcedores celebram a vitória do Paris Saint-Germain sobre o RB Leipzig e esquecem o contexto de crise sanitária REUTERS - CHARLES PLATIAU

A vitória do Paris Saint-Germain (PSG) sobre o RB Leipzig, da Alemanha, por 3 a 0, nesta terça-feira (18), no estádio da Luz, em Lisboa, carimbou o passaporte do time parisiense para a final da Liga dos Campeões. Mas a vitória provocou aglomerações nas ruas de Paris. Em pleno contexto de crise sanitária, com os eventos públicos limitados na França para evitar uma segunda onda da pandemia de Covid-19, a polícia teve que intervir. As autoridades temem novos incidentes no dia da final e a ministra francesa dos Esportes apela ao “civismo” da população.

Publicidade

Antes mesmo do apito final a situação já era preocupante. Como a partida foi feita com a plateia vazia por razões sanitárias, os torcedores em Lisboa e Paris se aglomeraram nos terraços dos bares e cafés, esquecendo o distanciamento físico. Mas foi após o final do jogo que as autoridades tiveram que intervir, já que milhares de pessoas começaram a celebrar a vitória nas ruas da capital francesa. A polícia, que tentou conter a aglomeração, chegou a ser atacada por alguns torcedores que lançaram projéteis contra as forças de ordem: 36 pessoas foram presas, 17 delas acusadas de roubo.

Diante das imagens divulgadas na televisão durante a noite e pela manhã, a ministra francesa dos Esportes, Roxana Maracineanu, lembrou nesta quarta-feira (19) que “é necessário evitar ao máximo as aglomerações nas ruas”. Em entrevista à rádio FranceInfo, ela pediu que os torcedores façam prova de responsabilidade e “civismo” e “celebrem a vitória de nossas equipes dentro da casa”.

Possível final 100% francesa

A ministra se refere ao PSG, que se qualificou pela primeira vez das história para uma final da Liga dos Campeões, mas também do Lyon, que joga nessa quarta-feira (19) contra o Bayern de Munique. Em caso de vitória, a final seria uma disputa 100% francesa.

Mas o que deveria ser um motivo de orgulho está sendo visto como uma fonte de possíveis problemas, já que em caso de uma final francesa, todo o país poderia se tornar uma grande festa popular, o que o governo quer evitar a qualquer preço. “Já vimos em outras manifestações, como na Festa da Música, que é difícil respeitar esse protocolo (sanitário)”, disse ainda Roxana Maracineanu ao canal BFMRMC Sport. “Sabemos que a principal causa de contágio são as aglomerações, então peço o civismo de todos”, insistiu.

“Não se trata apenas dos torcedores. Se eles contraem o vírus, podem colocar em risco as pessoas idosas e todos que os cercam”, frisou.

A ministra cogitou a criação de Fan Zones caso as duas equipes estejam na final. “O esporte deve continuar sendo uma festa. Podemos e devemos adaptar nossa maneira de festejar e celebrar”, apontou, sem dar detalhes, sobre um possível dispositivo especial para a final.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.