Acessar o conteúdo principal
Esportes

Roland Garros: Rafael Nadal em busca do 13° titulo em edição inédita por causa da pandemia

Áudio 06:33
Quadra de Roland Garros
Quadra de Roland Garros AP - Michel Euler
Por: Elcio Ramalho
12 min

Adiado devido à pandemia da Covid-19, o torneio de tênis de Roland Garros, previsto inicialmente para maio e junho, começou pra valer neste domingo (27), em meio à adaptações impostas diante da evolução da crise sanitária. O espanhol Rafael Nadal é, mais uma vez, o grande favorito, enquanto no feminino a disputa está em aberto.

Publicidade

Ainda durante a semana, as novas medidas restritivas anunciadas pelo governo francês para conter o aumento do contágio no país atingiram também os eventos esportivos. Os organizadores tiveram que reduzir de 5 mil para mil o número máximo de pessoas no interior do complexo esportivo de Roland Garros.

Guy Forget, diretor esportivo do torneio, lamentou a decisão das autoridades francesas, mas anunciou que os torcedores que adquiriram ingressos e não poderão assistir aos jogos serão reembolsados. 

“É o mínimo a fazer, mesmo com um pouco de tristeza porque gostaríamos de acolher as cinco mil pessoas, como estava previsto e como acreditávamos. Lembro que este complexo é imenso, mas infelizmente eles não vamos poder vir e vamos nos organizar para reembolsá-los. O torneio será visto por milhões de telespectadores em todo o mundo e chegou a hora de jogar”, declarou.

Um protocolo sanitário rígido foi estabelecido para atender às normas e exigências para proteger a saúde de atletas, treinadores, visitantes e de todos os envolvidos na realização do Grand Slam mais badalado do circuito.

Testes regulares de Covid em atletas na chegada a Paris e durante o torneio,  distanciamento físico obrigatório, número reduzido de profissionais como jornalistas no complexo foram algumas medidas anunciadas para garantir a segurança. Mas nem todos se convenceram. A tenista australiana, Ashleigh Barty, vencedora do ano passado, desistiu de defender seu título por causa da pandemia. 

Ela deixa o caminho aberto para as adversárias, como a romena Simona Halep, para voltar a erguer o troféu Suzanne Lenglen. Uma das favoritas este ano, Halep lamentou a ausência da atual numero 1 do ranking e disse que era preciso entender e respeitar a decisão de Ashleigh Barty. Antes de entrar em quadra neste domingo, e comemorar o aniversário de 29 anos, com vitória de 2 sets a 0 sobre a espanhola Sara Sorribes, a atual número 2 do ranking afirmou estar preparada para encarar seu torneio favorito. 

“Estou confiante para encarar qualquer partida. Fiz uma boa preparação para este torneio em casa e joguei muito em piso de terra batido, por isso estou confiante. É um bom momento e quero aproveitá-lo“, declarou Halep. 

Sem a presença também da japonesa Naomi Osaka, que se recupera de uma lesão na coxa, a disputa pelo título feminino está mais aberta este ano. No masculino, os grandes favoritos são bem conhecidos.

Rafael Nadal em busca de nova consagração 

O espanhol Rafael Nadal vai em busca de seu 13° titulo em Roland Garros e, caso triunfe mais uma vez, atingirá também a impressionante marca de 60 troféus de campeão em torneios no saibro, seu piso predileto.

O espanhol pode ainda chegar ao seu 20° título de Grand Slam e igualar a marca do suíço Roger Federer, grande ausente desta edição por se recuperar de um problema no joelho. 

Nadal terá um concorrente de peso, o sérvio Novak Djokovic, atual número 1 do mundo, que tenta ganhar pela segunda vez o troféu de Roland Garros. 

Thiago Monteiro é a esperança do Brasil

Único brasileiro no quadro principal do Grand Slam francês, Thiago Monteiro desembarcou na noite deste sábado (26) na capital francesa depois de uma final no torneio de Forlì, na Itália. Ele perdeu de 2 sets a 0 para o italiano Lorenzo Musetti, mas está confiante para a sua quinta participação em Roland Garros.

“Venho de uma sequência de bons jogos. Vinha treinando muito bem, tive umas derrotas duras até esta semana, quando também tive jogos duros, mas consegui reverter situações adversas e voltei a ganhar”, disse o jogador, que não passou na primeira rodada nas duas ultima edições do torneio.

Thiago Monteiro estreia contra o georgiano Nikoloz Basilashvili, cabeça-de-chave 31 do torneio e 33° do ranking, um adversário que vai enfrentar pela primeira vez. “Eu já treinei com ele várias vezes, é agressivo, tem golpes fortes, mas não está em um bom momento. Tenho que aproveitar essa fase dele que não é tão boa, mas é jogo de Grand Slam e tenho que estar bem competitivo e com boa cabeça, acreditar que é possível a vitória”, sublinhou, em entrevista à RFI .     

O cearense comentou ainda que, diante de tantas mudanças, tem se adaptado a cada torneio. No caso de Roland Garros, que excepcionalmente este ano é disputado no outono, com temperaturas mais baixas, haverá impacto no seu estilo de jogo.

“Tenho ouvido que está mais lento, por causa do frio e do outono. A bola é um pouco diferente, mas é aceitar as condições, se adaptar e tentar tirar o melhor proveito disso. O mais importante é competir com tudo. Acreditando sempre na vitória porque isso leva a jogar melhor”, conclui. 

.

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.