Na véspera de enfrentar Barcelona, Marquinhos diz que "remontada é coisa do passado" para PSG

Na resenha da imprensa francesa desta segunda-feira a grande expectativa com o duelo de amanhã entre o PSG e o Barcelona pelas oitavas de final da Liga dos Campeoes, em Barcelona.
Na resenha da imprensa francesa desta segunda-feira a grande expectativa com o duelo de amanhã entre o PSG e o Barcelona pelas oitavas de final da Liga dos Campeoes, em Barcelona. AFP - NICOLAS TUCAT
Texto por: RFI
4 min

Grande expectativa na França para o duelo desta terça-feira (16) entre o PSG e o Barcelona, pelas oitavas de final da Liga dos Campeões. O jogo acontece na Espanha, sem a presença do público devido à pandemia. A imprensa francesa desta segunda-feira (15) lembra em peso a famosa remontada do clube espanhol, que eliminou há quatro anos o Paris Saint-Germain da competição, por 6 a 1, também nas oitavas de final.

Publicidade

Um trauma? O capitão do clube parisiense, o brasileiro Marquinhos, garante que não. Em uma entrevista exclusiva à rádio France Info desta segunda-feira, o zagueiro diz que a remontada “faz parte do passado”.

Esta será a quarta vez que os dois clubes se enfrentam na Liga dos Campeões. Muita gente pensa em revanche, mas Marquinhos está de olho no futuro e nesse novo desafio que a equipe deverá enfrentar amanhã, sem Di Maria e sem Neymar, contundidos.

O capitão do PSG estava em campo na derrota de quatro anos atrás. Ele confessa que a remontada “foi um momento difícil, mas já foi digerido”. Neste ano, o Paris Saint-Germain, que chegou a final da Liga dos Campeões no ano passado, enfrenta de novo o Barcelona com uma equipe renovada.

O jogo de ida desta terça-feira “é muito importante e será difícil. Vai ser necessário ter uma boa atitude para conseguir a façanha de vencer fora de casa”, acredita o brasileiro. Ele se mostra confiante e vai tentar, como capitão, motivar a equipe.

Marquinhos fala bem francês e se sente integrado na França, onde seus dois filhos nasceram. Ele está há oito anos no PSG e ainda deve permanecer por pelo menos mais três no clube. Seu contrato foi prolongado até 2024, informa a France Info.

Lionel Messi

Apesar do Barcelona viver um momento difícil, tanto esportivo quanto financeiro, Marquinhos não pensa que o PSG seja favorito na partida e declara que, antes de mais nada, “será um grande jogo, que todo mundo terá vontade de assistir e comentar”, principalmente devido aos boatos de transferência de Lionel Messi a Paris. Segundo Marquinhos, os jogadores terão que se concentrar e deixar os rumores fora do campo, para evitar que eles influenciem a partida.

L'Équipe mantém vivo o boato. O jornal esportivo escreve que a transferência de Messi é complexa, mas não é impossível. No entanto, o atacante argentino e capitão do Barcelona foca em seus objetivos esportivos a curto prazo. Ele não alimenta os rumores, estará amanhã em campo comandando o ataque do Barça e indica que só pensará em seu futuro no final da temporada, revela o diário.

Rafinha

Além de Marquinhos, outro brasileiro que viveu a remontada do Barcelona contra o PSG é entrevistado pela imprensa francesa de hoje: Rafinha, que como Neymar, jogava há quatro anos no clube espanhol e hoje defende o Paris Saint-Germain.

Ao Le Parisien, o lateral direito, que deve começar a partida no banco, acredita que o PSG é capaz de fazer um grande jogo, superar a remontada e enterrar de vez essa péssima lembrança.

A partida de volta entre o PSG e o Barcelona acontece em Paris, no dia 10 de março.

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.