Tcheca Barbora Krejcikova vence russa é a nova campeã de Roland Garros

Barbora Krejcikova foi a vencedora de 2021 de Roland Garros após vencer Anastasia Pavlyunchekova.
Barbora Krejcikova foi a vencedora de 2021 de Roland Garros após vencer Anastasia Pavlyunchekova. © Pierre René-Worms

Barbora Krejcikova ergue pela primeira vez um troféu de Grand Slam após vencer na final a russa Anastasia Pavlyuchenkova por 2 sets a 1 (parciais de 6/1, 2/6 e 6/4). Aos 25 anos, ela se torna a mais nova campeã do saibro parisiense e pode voltar a fazer história no domingo (13), quando disputa a final de duplas.

Publicidade

Elcio Ramalho, de Roland Garros

“Meu sonho se tornou realidade”, disse emocionada Krejcikova após receber o troféu das mãos de Martina Navratilova, tcheca naturalizada americana, que também ergueu o troféu de campeã do saibro parisiense em duas ocasiões (1982 e 1984).

“Vocês foram formidáveis ao longo do torneio”, disse ela em reconhecimento ao apoio recebido do público durante as duas semanas de competição. A tcheca foi muito aplaudida pelo 5 mil torcedores presentes nas arquibancadas, número limitado devido às restrições sanitárias.  

Krejcikova, 33ª do ranking, venceu a final depois de uma longa batalha de quase duas horas contra a russa Pavlyuchenkova, num confronto inédito com a adversária.

Esta foi a primeira final da história do torneio que opôs uma russa e uma tcheca e também considerada uma das mais inesperadas. Nenhuma delas era cotada para erguer o cobiçado troféu Suzanne Lenglen, trazido em quadra por dois profissionais de saúde do país para homenagear todos os que estão na linha de frente para combater a pandemia.

Tcheca se superou no final

Krejcikova começou a partida com quebra de seu saque, mas logo se encontrou em quadra e, demonstrando muita segurança, fechou rapidamente o primeiro set por 6/1.

No set seguinte, foi a vez de Pavlyunchekova dominar o duelo, impondo larga vantagem até fechar em 6/2. Ela chegou a receber atendimento médico, paralisando a partida por alguns minutos.

No terceiro e decisivo set, o jogo seguiu equilibrado com várias quebras de serviço até Barbora finalizar em 6/4 e concluir a partida em 2 sets a 1.

Aos 29 anos, Pavlyuchenkova, atual 32ª do ranking da WTA, chegou à sua primeira final em 14 participações no saibro parisiense, sendo a melhor colocação as quartas de final em 2011.

A russa, campeã mundial juniores em 2007 e considerada na época uma das maiores promessas do tênis, tinha a chance de brilhar, como conseguiram no passado suas compatriotas Maria Sharapova (2012 e 2014), Svetlana Kuznetsova (2009) e Anastasia Myskina (2004).

Antes de chegar à final, Krejcikova eliminou a compatriota Krystina Pliskova, a russa Ekatareni Alexandrova, a ucraniana Elina Svitolina e a americana Sloane Stephens, antes de passar nas quartas de final por outra americana, Coco Gauff e pela grega Maria Sakkari num duelo de mais de três horas na semifinal.    

Com a conquista, Barbora Krejcikova ganhou um prêmio de € 1,4 milhão (R$ 8,7 milhões).

Além de vencer no torneio de simples, Barbora poderá também se sagrar campeã do torneio de duplas, já que ela volta às quadras neste domingo (13) para disputar a final ao lado de sua compatriota Katerina Siniakova. Elas enfrentarão a dupla Iga Swiatek e Bethanie Mattek-Sands.

O torneio feminino de Roland Garros foi marcado este ano pela desistência da japonesa Naomi Osaka, número 2 mundial. Ela se recusou a participar das tradicionais entrevistas coletivas depois das partidas, chegou a ser multada e preferiu abandonar a competição alegando sofrer de ansiedade e problemas psíquicos e não conseguir cumprir com as obrigações com a imprensa.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.