Variante Delta leva Japão a decretar quarto estado de emergência, a duas semanas das Olimpíadas

O presidente do COI, Thomas Bach, acaba de desembarcar na capital japonesa e iniciou uma quarentena obrigatória de três dias.
O presidente do COI, Thomas Bach, acaba de desembarcar na capital japonesa e iniciou uma quarentena obrigatória de três dias. AP - Eugene Hoshiko

O primeiro-ministro do Japão, Yoshihide Suga, anunciou nesta quinta-feira (8) a volta do estado de emergência no país contra a epidemia de coronavírus, a duas semanas do início dos Jogos Olímpicos de Tóquio. A medida permanecerá válida durante as Olimpíadas, de 23 de julho a 8 de agosto.

Publicidade

“Declararemos estado de emergência em Tóquio”, disse Suga, durante uma reunião do governo sobre as medidas sanitárias no país.

Este é a quarta vez que a medida é decretada no Japão desde o início da pandemia. De acordo com a agência Kyodo, que cita um alto funcionário do governo, as Olimpíadas provavelmente serão disputadas sem a presença de público.

O presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, acaba de desembarcar na capital japonesa e iniciou uma quarentena obrigatória de três dias. Não está descartado o endurecimento das restrições ao público durante os Jogos – as medidas serão revistas em uma reunião entre todas as partes envolvidas na organização do evento, incluindo o COI, Tóquio-2020 e as autoridades japonesas. Bach participará do encontro por videoconferência.

“O número de novos casos continua a subir em Tóquio”, afirmou Yasutoshi Nishimura, ministro encarregado da gestão da pandemia no país. “Com o aumento dos deslocamentos das pessoas, a variante Delta, mais contagiosa, representa agora 30% dos casos e este número deve aumentar”, preveniu.

Sequência de restrições

Os organizadores tomaram a decisão inédita em março de impedir a chegada de espectadores do exterior. Em junho, autorizaram a presença de espectadores locais, mas com 50% da capacidade do local e com um limite de 10.000 pessoas.

Recentemente, a possibilidade de as provas serem realizadas a portas fechadas passou a ser evocada, diante da piora da situação sanitária.

Nesta quarta-feira (7), as autoridades da capital japonesa comunicaram "o cancelamento" do revezamento da tocha olímpica nas vias públicas de Tóquio, dada a preocupação com o aumento de contágios por Covid-19. O revezamento da tocha olímpica terá início nesta sexta-feira (9), confirmou a prefeitura, mas, devido à pandemia, os trechos que deveriam ser realizados em vias públicas "foram cancelados". Apenas o trecho nas ilhas Ogasawara, um arquipélago remoto 1.000 km ao sul de Tóquio, seguirá conforme planejado.

Cobertura pela televisão

Cerimônias privadas serão realizadas para acender a tocha, em vez do revezamento habitual. Os eventos serão transmitidos ao vivo, e os telespectadores poderão assistir "no conforto de suas casas".

Na terça-feira, os organizadores dos Jogos e as autoridades japonesas pediram ao público que não acompanhe as provas de maratona e marcha atlética em Sapporo, no norte do país.

Cerca de 11.000 atletas são esperados nesses Jogos. Diferentes medidas rígidas foram impostas pelos organizadores para todos os participantes.

Com informações da AFP

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe todas as notícias internacionais baixando o aplicativo da RFI