Acessar o conteúdo principal
Acidente/Rússia/Polônia

Presidente da Polônia será enterrado no domingo

Chegada do caixão da primeira-dama polonesa Maria Kaczynska no palácio presidencial.
Chegada do caixão da primeira-dama polonesa Maria Kaczynska no palácio presidencial. Reuters
3 min

O presidente da Polônia, Lech Kaczynski, e sua mulher, Maria, mortos no sábado na queda do avião presidencial em Smolensk, na Rússia, serão sepultados no domingo na Polônia. O velório do casal foi aberto ao público, hoje, no palácio presidencial de Varsóvia. As autoridades polonesas anunciam, amanhã, a data das eleições presidenciais antecipadas no país. 

Publicidade

Os funerais do presidente da Polônia, Lech Kaczynski, e de sua mulher, Maria, mortos no sábado na queda do avião presidencial em Smolensk, na Rússia, vão durar dois dias. No sábado, em Varsóvia, haverá uma cerimônia nacional em homenagem às 96 vítimas da catástrofe aérea. O sepultamento dos corpos do presidente e da primeira-dama foi marcado para domingo. O corpo de Maria Kaczynska chegou à capital polonesa na manhã desta terça-feira. Em seguida, o velório do casal foi aberto ao público no palácio presidencial. Líderes de vários países devem participar das cerimônias.

Apesar da atmosfera de profunda tristeza, as autoridades polonesas que asseguram a transição política vão anunciar amanhã a data das eleições presidenciais antecipadas no país. A Polônia tinha eleições previstas para o mês de outubro, mas com a morte do presidente a data da votação será antecipada.

Na Rússia, investigadores russos e poloneses continuam tentando estabelecer as causas da catástrofe aérea. Uma terceira caixa-preta que ainda estava desaparecida foi encontrada, ontem, no local do acidente. Nesta terça-feira, foi confirmado que os pilotos do Tupolev presidencial não obedeceram as ordens da torre de controle, que desaconselhou o pouso devido à forte neblina que pairava na região.

De acordo com controladores aéreos citados pela imprensa russa, os pilotos poloneses não teriam transmitido informações cruciais sobre a altitude do avião. Questionado sobre essas falhas de comunicação durante o procedimento de aterrissagem, o chefe da torre de controle, Pavel Pliousnine, disse desconhecer os motivos que levaram os pilotos poloneses a não comunicar os dados relativos à altitude. "Talvez eles não falassem russo muito bem. Eles falavam russo, mas tinham dificuldade de se expressar em números," declarou Pliousnine.

O avião do presidente polonês se incendiou ao tocar o chão, depois de encostar em copas de árvores da floresta que cerca o aeroporto militar de Smolensk, onde o aparelho deveria aterrissar. As autoridades russas excluem a hipótese de ter havido uma explosão. Os pilotos tentaram aterrissar pelo menos três vezes, sem sucesso, devido à forte neblina na região.

O casal Kaczynski, membros do governo, da cúpula das Forças Armadas, deputados e várias personalidades, como o presidente do Banco Central da Polônia, se dirigiam para Katyn, perto de Smolensk. Eles iam participar de uma homenagem a 22 mil oficiais e intelectuais poloneses mortos por tropas soviéticas durante a Segunda Guerra Mundial, nesse mesmo local, há 70 anos.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.