Acessar o conteúdo principal
Espanha/Transplante

Médicos franceses criticam transplante de rosto

O espanhol Oscar é o primeiro paciente no mundo a receber um transplante total no rosto.
O espanhol Oscar é o primeiro paciente no mundo a receber um transplante total no rosto. Reuters
2 min

A comemoração dos médicos espanhóis não durou muito tempo. Após o anúncio do transplante total de rosto realizado em um jovem em Barcelona, as equipes informaram que o paciente ainda não consegue fechar os olhos e a boca. O resultado da operação está sendo criticado por especialistas franceses, que dizem que o transplante total não era indispensável.

Publicidade

Oscar, o primeiro paciente a receber um transplante integral de rosto, foi apresentado na manhã de segunda-feira pela equipe de médicos espanhóis que fizeram a operação. Em 30 horas de cirurgia, foram transplantados as pálpebras, o nariz, os lábios, o maxilar superior, os dentes, o palato, as maçãs do rosto, a pele e os músculos. Oscar teve o rosto desfigurado depois de sofrer um acidente doméstico com uma arma, há cinco anos.

Quatro meses depois da operação, Oscar ainda não consegue mexer a boca nem fechar os olhos. Segundo Joan Barret, médico que realizou a cirurgia, "ele ainda vai precisar de fisioterapia e reeducação facial intensa". O médico disse que é necessário esperar de 12 a 18 meses para ter um resultado estável.

O cirurgião francês Bernard Devauchelle, médico que realizou o primeiro transplante parcial de rosto do mundo, há cinco anos, questionou os métodos utilizados pelos espanhóis. "Por que fazer um transplante total se a parte superior do rosto não estava desfigurada?", indagou o médico francês. "Eles reconstituíram as pálpebras desse paciente e agora ele não pode nem fechar os olhos", observou Devauchelle. "O cirurgião correu um grande risco já que, antes, as pálpebras do paciente funcionavam normalmente", alegou o francês.

Mariana Brugger, em colaboração para a RFI.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.