Bélgica/Pedofilia

Relatório denuncia suicídios após abusos sexuais de padres

REUTERS/Cathal McNaughton

Um relatório divulgado hoje na Bélgica revela que pelo menos 13 pessoas se suicidaram em consequência de abusos sexuais cometidos por padres. O relatório independente recebeu 475 denúncias de vítimas ou próximos de pessoas que sofreram os abusos.

Publicidade

O relatório traz depoimentos anônimos de 124 vítimas de abusos sexuais cometidos por membros da Igreja Católica da Bélgica, de professores de religião e também de acompanhantes de grupos de jovens católicos do país. A maioria dos crimes teria sido cometida entre os anos 50 e o final dos anos 80.

A comissão de investigação de abusos sexuais na Igreja belga recebeu ao todo 475 denúncias nos primeiros seis meses deste ano. A maioria após a renúncia do bispo de Bruges, em abril, depois que ele admitiu ter tido relações sexuais com um menor, entre 1973 e 1986.

Mesmo se do ponto de vista penal, a maioria dos crimes já prescreveu, a comissão ressalta os efeitos negativos na saúde física e mental das vítimas. De acordo com o relatório, 13 pessoas se suicidaram nos últimos anos em decorrência dos abusos e outras seis teriam tentado terminar com a própria vida.

A comissão revela ainda que dois terços das vítimas são homens, que têm hoje entre 40 e 60 anos, mas pelo menos 150 mulheres também sofreram abusos. No relatório, uma mulher conta que foi abusada por um padre quando tinha 17 anos, em 1983. Ela diz que, na época, pediu ajuda a um bispo. A orientação dele foi simples: se ela parasse de olhar para o padre, ele a deixaria tranquila.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.