Papa/Reino Unido

Em meio a protestos, Papa condena aborto e eutanásia na Inglaterra

Bento 16 criticou novamente o aborto e a eutanásia durante sua passagem por Londres.
Bento 16 criticou novamente o aborto e a eutanásia durante sua passagem por Londres. Reuters

Bento 16 pediu aos fiéis que respeitem a vida em qualquer circunstância. Durante sua visita a Londres, o sumo pontífice se encontrou com vítimas de abusos sexuais cometidos por padres e disse ter vergonha dos erros dos membros do clero.

Publicidade

Apesar de todas as críticas recentes feitas à Igreja Católica, o papa Bento 16 preservou seu discurso conservador durante sua visita ao Reino Unido. Neste sábado, em Londres, líder religioso voltou a condenar o aborto e a eutanásia. “A vida é um dom único a cada etapa, desde à concepção até a morte natural", disse Bento 16. Conhecido por suas posições contrárias ao aborto e à eutanásia, o Papa criticou em fevereiro a Escócia, que estudava um projeto de lei sobre a prática do chamado suicídio assistido no país.

Guilherme Kfouri, correspondente da RFI em Londres.

Neste sábado Bento 16 também se encontrou com o primeiro ministro britânico, David Cameron. Durante 20 minutos o chefe da Igreja Católica se reuniu com o premier, seu parceiro de coalizão, Nick Clegg, e o líder da oposição trabalhista, Harriet Harman.

Em seguida o Papa se encontrou com um grupo de vítimas de abusos sexuais cometidos por membros da Igreja. Segundo informações do Vaticano, durante o encontro o sumo pontífice ficou comovido com o que ouviu e expressou "seu profundo pesar pelo que as vítimas e familiares sofreram". Bento 16 também disse ter vergonha do que aconteceu.

Esta não é a primeira vez que o Papa se encontra com vítimas de abusos sexuais cometidos por membros do clero. Reuniões similares já haviam sido realizadas durante suas viagens oficiais aos Estados Unidos, Austrália e Malta.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.