Vaticano/Itália

Justiça italiana investiga banco do Vaticano por violação de leis de lavagem de dinheiro

O Banco do Vaticano administra contas de várias associações e ordens religiosas.
O Banco do Vaticano administra contas de várias associações e ordens religiosas. REUTERS/Osservatore Romano

A polícia italiana está investigando o Banco do Vaticano (IOR), suspeito de violação de uma nova lei contra lavagem de dinheiro. O tribunal de Roma suspeita que a instituição administre, através de contas anônimas, importantes somas de dinheiro de procedência obscura.

Publicidade

Um dos principais órgãos de direção do banco é a comissão formada por cinco cardeais nomeados pelo Papa. O banco é administrador de contas de várias ordens religiosas e associações católicas. As informações estão hoje na imprensa italiana, que conta que os principais investigados são o diretor da instituição, Ettore Gotti Tedeschi, e outro alto funcionário, que não teve a identidade revelada.

Segundo as informações, eles são suspeitos de não terem respeitado uma cláusula da legislação sobre lavagem de dinheiro, que data de 2007 e que obriga os mandatários de operações financeiras a se indentificaram, assim como especificarem a natureza e o objetivo das operações. Nesse caso, os dois homens não são suspeitos de lavagem de dinheiro propriamente dita, mas sim de "omissão" de informações ligadas às operações.

A justiça já ordenou a apreensão de 23 milhões de euros do IOR, depositados em uma agência de Roma de outro banco, o Credito Artigiano. Grande parte da soma, ou seja 20 milhões de euros, seria transferida para uma agência do JP Morgan, em Frankfurt, e o restante deveria ser enviado ao italiano Banca del Fucino.

O Vaticado não tardou em reagiar e publicou um comunicado no qual exprime "perplexidade e surpresa com o anúncio da investigação". Com sede na Cidade do Vaticano, o banco privado foi criado em 1942 pelo Papa Pio XII e já foi alvo de um escândalo financeiro em 1982, quando esteve implicado na falência fraudulenta do Banco Ambrosiano, na época, o maior banco privado da Itália.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.