Terrorismo

Al Qaeda estaria planejando atentados em série na Europa

Policial armado vigia parlamento em Londres devido à ameaça terrorista.
Policial armado vigia parlamento em Londres devido à ameaça terrorista. Reuters

A preocupação com a ameaça terrorista cresce na Europa. Um plano que previa uma série de atentados terroristas contra o Reino Unido, a França e a Alemanha foi descoberto pelos serviços secretos ocidentais, segundo informou, ontem, a rede de televisão britânica Sky News. A mídia americana detalha como o plano foi descoberto.

Publicidade

Na semana passada, o governo francês declarou que havia um risco iminente de atentados terroristas no país. Ontem à noite, a Torre Eiffel, principal monumento da capital francesa, teve que ser esvaziada durante duas horas após uma ameaça de bomba. Foi a segunda vez em menos de duas semanas. Nenhum explosivo foi encontrado.

De acordo com a Sky News, o plano de ataques simultâneos em Londres e grandes cidades da França e da Alemanha teria sido descoberto após troca de informações entre os serviços de inteligência americano, britânico, francês e alemão. Extremistas islâmicos baseados no Paquistão, ligados à rede terrorista Al Qaeda e ao movimento islâmico talibã, estariam sendo vigiados há algumas semanas. Eles estariam preparando atentados semelhantes aos ocorridos em Mumbai, na Índia, em novembro de 2008. Na época, um comando de islamitas atacou simultaneamente vários alvos, como a rede de transportes e hoteis, provocando a morte de 163 pessoas.

Nos Estados Unidos, o canal de televisão ABC informou que o país também era um alvo potencial desse grupo de islamitas. O presidente Barack Obama teria sido avisado da ameaça. Segundo o canal ABC, as informações sobre o plano foram baseadas no interrogatório de um cidadão alemão, suspeito de terrorismo, detido quando tentava voltar à Europa. O suspeito está preso na base militar americana de Bagram, no Afeganistão. Ele confessou que os atentados visavam alvos econômicos, fáceis de serem atingidos. Foi depois desta informação que o Exército americano deu apoio aos aliados europeus para localizar os organizadores das operações no Paquistão.

Questionado sobre sua participação no desmantelamento dos atentados, o serviço secreto francês disse desconhecer o projeto. 

Quarta-feira passada, a secretária americana de Segurança Interior, Janet Napolitano, havia afirmado no Senado que os países ocidentais estavam sob forte ameaça de grupos extremistas islâmicos. O jornal americano Wall Street Journal, citando responsáveis e ex-agentes americanos, relatou na terça-feira que a CIA tinha multiplicado os ataques aéreos contra rebeldes islâmicos em zonas tribais paquistanesas a fim de evitar atentados na Europa. No último mês, os Estados Unidos reforçaram os bombardeios nas zonas de fronteira com o Afeganistão, refúgio dos talibãs e de líderes da Al Qaeda. Esses bombardeios mataram 118 rebeldes islâmicos, entre eles o suposto chefe da Al Qaeda para o Paquistão e o Afeganistão, conhecido como sheik Fateh.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.