Terrrorismo/Europa

Estados Unidos e Japão alertam turistas para risco de atentados na Europa

Polícia francesa evacua a torre Eiffel no dia 28 de setembro de 2010 depois de uma alerta a bomba.
Polícia francesa evacua a torre Eiffel no dia 28 de setembro de 2010 depois de uma alerta a bomba. Reuters/Jacky Naegelen

França e Alemanha são os países mais ameaçados. Governo britânico também sobe nível de alerta depois do anúncio feito pelas autoridades americanas.

Publicidade

Os países europeus estão em estado de alerta após a recomendação feita ontem pelos Estados Unidos e hoje pelo Japão para que seus cidadãos fiquem vigilantes, devido ao risco de atentados terroristas na Europa. França e Alemanha seriam os países mais ameaçados.

Em Londres, o governo considerou pertinente a recomendação e confirmou a existência de uma "forte ameaça terrorista". Já o ministro alemão do Interior, Thomas de Maizière, declarou em Berlim que não há motivo para alarme. Em Paris, o serviço secreto francês indicou não ter nenhum elemento novo que comprove aumento do risco, que já é elevado desde o início de setembro, quando o governo preveniu a população sobre a ameaça. A França mantém o nível de alerta vermelho, penúltimo numa escala de cinco patamares. Na Itália, o Ministério do Interior indicou nesta segunda-feira que o risco é elevado, embora não tenha sido identificado nenhum alvo preciso.

De acordo com o comunicado do governo americano, a rede extremista Al Qaeda continua planejando uma ação terrorista de grande porte na Europa. A Comissão Europeia está em contato com as autoridades americanas e pediu mais detalhes à Casa Branca antes de uma reunião dos ministros do Interior europeus, marcada para quinta-feira, em Luxemburgo.

Segundo uma lista obtida pela rede de televisão americana Fox News, a Torre Eiffel, em Paris, e a estação central de trem de Berlim, na Alemanha, seriam alvos de possíveis ataques terroristas. A lista teria sido revelada aos serviços secretos americanos por um cidadão germano-paquistanês interrogado na base militar americana de Bagram, no Afeganistão. Ainda segundo a Fox News, a existência dessa lista teria sido confirmada por um alto responsável dos serviços secretos dos Estados Unidos.

O secretário francês do Turismo, Hervé Novelli, recomendou nesta segunda-feira que as pessoas continuem "extremamente vigilantes" sem cair no "alarmismo excessivo". A França recebeu em 2009 a visita de 75 milhões de turistas estrangeiros, sendo 15 milhões de britânicos, 3 milhões de americanos e 697 mil japoneses. Questionado se os rumores de atentado já estavam tendo reprecussão no fluxo turístico para a França, o secretário disse que, por enquanto, não havia nenhuma indicação nesse sentido.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.