União Europeia/Cúpula

Europeus decidem fazer revisão limitada do Tratado de Lisboa

A chanceler alemã Angela Merkel, que saiu fortalecida do encontro, conversa com o premiê britânico David Cameron durante a cúpula de Bruxelas.
A chanceler alemã Angela Merkel, que saiu fortalecida do encontro, conversa com o premiê britânico David Cameron durante a cúpula de Bruxelas. Reuters

Após horas de negociações, os líderes europeus reunidos em Bruxelas concordaram nesta sexta-feira, no final da Cúpula de dois dias, em revisar o Tratado de Lisboa para garantir a estabilidade financeira da zona do euro no futuro. A revisão deverá ser limitada, mas não impede de ser uma missão extremamente difícil.

Publicidade

O presidente do Conselho Europeu, Herman Von Rompuy, ressaltou que “a próxima tarefa da UE é tornar o bloco mais resistente às crises financeiras”. Os chefes de Estado e governo do bloco pediram a Van Rompuy para preparar as alterações no Tratado de Lisboa antes do próxima reunião de Cúpula, em dezembro.

Deixando as reservas de lado, os dirigentes aceitaram a proposta defendida pela chanceler alemã Angela Merkel, e aprovaram a imposição de sanções mais duras aos países que não conseguirem equilibrar as contas públicas. Com essa decisão, Merkel saiu fortalecida do encontro. Por outro lado, a suspensão do direito de voto proposta pelo eixo franco-alemão não teve respaldo e foi reprovada.

Em paralelo, os governos europeus deram sinal verde à criação de um fundo permanente para socorrer os países endividados. Segundo os novos critérios, este fundo só estaria disponível em casos quando toda a zona do euro estiver em perigo. O fundo de apoio de 440 bilhões de euros criado no auge da crise da Grécia, cujo maior contribuinte é a Alemanha, é válido apenas até 2013.

Letícia Fonseca, correspondente da RFI em Bruxelas.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.