Economia

Parlamento português vota plano de austeridade sem precedentes

As medidas têm o objetivo de equilibrar as contas públicas do país.
As medidas têm o objetivo de equilibrar as contas públicas do país. IBGE/softonic.com.br

Após meses de negociações tensas entre governo e oposição, o Parlamento português deve finalmente adotar nesta quarta-feira um orçamento para 2011 caracterizado por medidas de austeridade sem precedentes.

Publicidade

O projeto inclui uma série de medidas impopulares, como o aumento do imposto sobre circulação de mercadorias, congelamento das aposentadorias, diminuição dos salários dos funcionários públicos, limitação das ajudas sociais e das reduções fiscais sobre as despesas de saúde, educação e alojamento.

O objetivo é reequilibrar as contas públicas o mais rápido possível. Considerado como um dos países mais frágeis da zona euro, Portugal se comprometeu com a Comissão Europeia a diminuir seu déficit público de 7,3% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2010 para 4,6% no ano que vem, o que representam uma economia de 5 bilhões de euros.

O partido Social Democrata, principal força da oposição, já confirmou que vai se abster durante a votação do orçamento para 2011, o que permitirá a adoção das medidas de austeridade. E isso, em troca de algumas emendas no texto, principalmente para diminuir a pressão fiscal sobre a classe média.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.