Portugal/pacote

Parlamento português adota pacote de ajustes

Passeata em Lisboa contra um pacote de ajustes para 2011,na tentativa de equilibrar as finanças.
Passeata em Lisboa contra um pacote de ajustes para 2011,na tentativa de equilibrar as finanças. Reuters

O objetivo é economizar 5 bilhões de euros e diminuir o déficit público de 7,3% para 4,6% em 2011, com medidas de redução orçamentária que inclui aumento de impostos e diminuição de subvenções

Publicidade

Depois de meses de tensão entre o governo e a oposição, o Parlamento português adotou nesta quarta-feira um pacote de ajustes para 2011, na tentativa de equilibrar as finanças do país e reconquistar a confiança do mercado. O objetivo é economizar 5 bilhões de euros. As medidas prevêem o aumento da TVA, imposto equivalente ao ICMS, em 23%, o congelamento das aposentadorias, restrições de benefícios sociais e de subvenções nos setores da saúde, educação, e habitação.

Segundo o governo, a medida deverá provocar uma baixa no crescimento econômico em 2011 de 0,2%, e uma alta do desemprego de 10,8%. Portugal, considerado um dos países mais pobres da zona euro, se comprometeu a diminuir o déficit público de 7,3% do PIB para 4,6% em 2011. Recentemente, a Comissão Europeia adotou um dispositivo que prevê sanções contra países do bloco que não tomarem medidas para controlar seu endividamento.

Portugal deve testar o impacto das medidas nesta quinta-feira no mercado financeiro, com a emissão de títulos públicos de um montante de um bilhão de euros.

As centrais sindicais já preparam o contra-ataque. A CGTP, o maior sindicato do país, convocou uma manifestação para sábado. Em protesto às novas medidas, uma jornada de mobilização também está prevista para o dia 24 de novembro. As centrais acreditam que o movimento será o mais importante desde o fim da ditadura em Portugal, em 1974.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.