Grã-Bretanha

Estudantes britânicos anunciam novos protestos contra o governo

Policiais retiram estudantes que protestaram na sede deo partido conservador contra medidas adotadas pelo governo.
Policiais retiram estudantes que protestaram na sede deo partido conservador contra medidas adotadas pelo governo. Reuters

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, anunciou nesta terça-feira uma investigação aprofundada sobre as manifestações de estudantes contra o aumento das anuidades universitárias. O protesto desta segunda-feira em Londres terminou em atos de vandalismo na sede do partido conservador, atualmente no poder.

Publicidade

De Jader de Oliveira, correspondente da RFI, em Londres,

A violência dos protestos estudantis desta segunda-feira pegou todo mundo de surpresa e o primeiro-ministro David Cameron, que está em Seul para a reunião de cúpula do G20, exigiu uma investigação para apurar porque eram tão poucos policiais nas ruas.

Os estudantes dizem que isto foi apenas o começo e que novos protestos serão organizados. O chefe da polícia metropolitana, Sir Paul Stephenson, classificou os acontecimentos de ontem de embaraçosos. O protesto violento terminou com 14 pessoas feridas e 35 presas.

A União Nacional dos Estudantes, que organizou a manifestação contra o aumento das anuidades universitárias, dissociou-se da violência, dizendo que a causa foi a infiltração de um grupo de desordeiros.

A entidade calcula que 52 mil pessoas participaram do protesto, entre estudantes e professores vindos de todas as partes do país. Duzentos invadiram a sede do Partido Conservador – o partido majoritário da coalizão que governa a Grã-Bretanha – sem encontrar muita resistência.

Eles quebraram a fachada de vidro, acenderam fogueiras do lado de fora e foram até o último andar, onde ficaram por longo tempo. A polícia só conseguiu expulsá-los depois da chegada de reforços. A situação havia ficado totalmente fora de controle, com a polícia sem dispor de elementos para reimpor a ordem.

Os estudantes estão revoltados contra a decisão do governo de aumentar as anuidades universitárias em até 300%. Até o começo da década passada o ensino superior era totalmente gratuito, mas as dificuldades da economia forçaram uma nova atitude do governo, que está executando um rigoroso programa de austeridade para equilibrar as finanças públicas.

A Grã-Bretanha sofre um déficit orçamentário superor a 100 bilhões de libras, ou mais de 10 por cento do PIB do país.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.