Crime/Portugal

Assassinato de brasileiro em Portugal pode ter sido crime racista

Ruas da cidade portuguesa de Caldas da Rainha, onde o brasileiro Luciano Correia da Silva foi morto no último domingo.
Ruas da cidade portuguesa de Caldas da Rainha, onde o brasileiro Luciano Correia da Silva foi morto no último domingo. Flickr/ Paulo Perry

Enquanto as autoridades investigam a morte do brasileiro Luciano Correia na cidade portuguesa de Caldas da Rainha, a comunidade brasileira em Portugal está perplexa com a notícia do crime, divulgada pelo jornal popular Correio da Manhã nesta terça-feira, e discute a possibilidade de ele ter sido motivado por racismo.

Publicidade

Adriana Niemeyer, correspondente da RFI em Lisboa

O rondoniense Luciano Correia da Silva, de 28 anos, teria sido esfaqueado no último domingo por estar urinando na rua quando saia de um bar com a namorada em Caldas da Rainha, cidade da região central de Portugal.

O vice–presidente da Casa do Brasil, o engenheiro Carlos Viana, não conhece maiores detalhes de como aconteceu o crime, mas acredita que se a briga foi originada pela xenofobia realmente “provocaria uma reação de revolta “.

“Vamos pedir rigor na investigação para apurar os detalhes da motivação do crime. Só posso dizer que todo brasileiro que vive em Portugal em algum momento ouviu a expressão 'Volta para a tua terra'", disse Carlos Viana.

A presidente da associação Mais Brasil, do Porto, Rute Teixeira, prefere ter mais cautela nas suas declarações. “Precisamos também conhecer a outra versão da história antes de tomar alguma atitude”.

“Ainda na semana passada tivemos um caso de pancadaria em um bar. A brasileira envolvida que queria denunciar vários portugueses por racismo era quem tinha provocado toda a briga…”, contou Rute Teixeira.

O jornalista Francisco Gomes, editor do jornal cas Caldas, diz ter entrevistados alguns vizinhos do bar da Coletividade dos Pimpões, onde teria ocorrido o crime. Muitos deles confirmaram que ouviram gritos as 3h30 da manhã, mas que não saíram de casa por medo.

“Temos ouvido falar de alguns casos envolvendo brasileiros aqui na zona, mas nunca houve morte ou ferimentos graves. Alguns são desentendimentos, outros brigas passionais… Mas este caso realmente supreendeu a população de Caldas que está acostumada a conviver com a imigração”, declarou o jornalista. O seu jornal, que é semanal, sai nesta quarta-feira com o título de primeira página “Brasileiro morto a golpe de navalha”.

Tanto o jornalista quanto alguns brasileiros ouvidos pela Rádio França Internacional afirmam que a comunidade está bem integrada na sociedade local.

A esteticista Edivania Ferreira Ribeiro, que viveu 3 anos na cidade antes de se transferir para Lisboa, afirma que o entrosamento entre os dois povos é muito maior em Caldas da Rainha. "Sempre fui tratada com muito carinho e respeito, penso que se trate realmente de um caso à parte da vida da cidade”, afirma ela. 

Até o fechamento desta matéria as autoridades consulares em Lisboa procuradas pela nossa redação não fizeram nenhuma declaração.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.