Itália/referendo

Italianos votam em referendo sobre imunidade de Berlusconi

Silvio Berlusconi enfrenta novo teste nas urnas, em referendo convocado pela oposição.
Silvio Berlusconi enfrenta novo teste nas urnas, em referendo convocado pela oposição. REUTERS/Stephane Mahe

Os italianos foram convocados neste domingo e segunda para votar em referendo sobre várias questões: a imunidade penal de Silvio Berlusconi, a volta à energia nuclear e a privatização do sistema de saneamento. O partido do premiê, o Povo da Liberdade (PDL) fez um apelo para que os simpatizantes não votem.

Publicidade

O referendo foi promovido pela oposição. Para que a consulta seja válida, é preciso 50% dos votos mais um. Desde 1995 o quórum nunca foi alcançado nesse tipo de votação. Silvio Berlusconi deixou claro que não ia votar nos referendos.

O primeiro-ministro está atualmente envolvido em três casos: corrupção e fraude fiscal, prostituição de menor e abuso de poder. Berlusconi teme principalmente a revogação da chamada lei "legítimo impedimento", que permite que ele se ausente em seus processos, invocando suas obrigações de primeiro-ministro.

O segundo referendo foi convocado para derrogar a lei que volta a introduzir a energia atômica no país. As poucas centrais italianas foram fechadas após a catástrofe de Chernobil, Ucrânia, em 1987. Mas a direita quer que a energia nuclear volte a ser prioridade de governo, com previsões inclusive de construção de novas usinas. Os planos de reintroduzir a energia nuclear foram adiados pelo governo Berlusconi após o acidente na central japonesa de Fukushima 1.

Os italianos também são convocados a responder duas perguntas sobre a privatização de empresas de saneamento. Os resultados do referendo devem ser anunciados na segunda-feira.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.